Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Lazer e Cultura

10 Setembro de 2018 | 12h41 - Actualizado em 10 Setembro de 2018 | 12h46

Obra "Sagrada Esperança" resume feitos de Agostinho Neto- Cornélio Calei

Luanda - O historiador Cornélio Calei considerou nesta segunda-feira, em Luanda, a obra Sagrada Esperança como a que compila as principais ideias e poemas do primeiro presidente do país, António Agostinho Neto.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

António Fonseca, PCA do Memorial António Agostinho Neto

António Agostinho Neto, Primeiro Presidente de Angola

Foto: Fotos: Pl

Cornélio Calei teceu tal opinião quando debruçava-se numa palestra  sobre Agostinho Neto, em saudação ao seu aniversário natalício que se celebra a 17 de Setembro.

Para o preleitor,   se bem estudadas, as duas  palavras que dão título a obra poética “Sagrada Esperança”, filosoficamente, foram criadas com profundidade, traduzindo da forma multifacetada a vida.

“Sagrada Esperança entrelaça a experiência da vida do autor, de outras pessoas e encarna o que se pode chamar de humanidade, resumindo tudo o que deixou como legado”, disse.

Coenélio Calei  ousou chamar a obra em questão de “Bíblia” de quem quiser entender o caminho, o percurso, o fundamento e a realização do povo angolano.

A título de exemplo realçou que o slogan resolver o problema do povo não representa palavras de ordem política, mas sim poética.

Por seu turno o PCA do Memorial António Agostinho Neto, António Fonseca,  afirmou que a cultura só pode transformar-se em factor de unidade nacional e inclusão social se for respeitada a diversidade cultural que caracteriza a sociedade.

A cultura foi ainda mencionada como algo que fortalece a nação em qualquer que seja o quadrante o cidadão deve-se esforçar para que a paz seja a principal força e mantenha-se o espírito de união e respeito pela diferença.

“A Cultura deve ser considerada como variável com efeito imediato, bem como alicerce fundamental para erguer a paz”, rebateu acrescentando que, como Agostinho Neto foi um

homem de cultura numa data como está, não podiam deixar de analisar assuntos do género.

Agostinho Neto nasceu a 17 de Setembro de 1922 na aldeia de Kaxicane, região de Icolo e Bengo, a cerca de 60 km de Luanda. O pai era pastor e professor da Igreja Metodista e, a sua mãe, era igualmente professora.

Após ter concluído o curso liceal em Luanda, trabalhou nos serviços de saúde e viria a tornar-se rapidamente uma figura proeminente do movimento cultural nacionalista que, durante os anos quarenta, conheceu uma fase de vigorosa expansão em Angola.

Decidido a formar-se em Medicina,  embarca para Portugal em 1947 e matricula-se na Faculdade de Medicina de Coimbra, e posteriormente na de Lisboa. Dois anos depois da sua chegada a Portugal, foi-lhe concedida uma bolsa de estudos pelos Metodistas Americanos.

Deixa no seu legado as obras “Quatro Poemas de Agostinho Neto”, 1957, Póvoa do Varzim, e.a.; Poemas, 1961, Lisboa, Casa dos Estudantes do Império “Sagrada Esperança”, 1974, Lisboa, Sá da Costa (inclui os poemas dos dois primeiros livros) e “A Renúncia Impossível”, 1982, Luanda, INALD (edição póstuma).

Assuntos Angola  

Leia também
  • 05/02/2019 17:00:27

    Escritora angolana Helena Dias em antologia no Brasil

    Luanda- A escritora angolana Helena Dias está inserida na antologia de textos literários de escritoras negras afro-brasileiras a ser publicada a 20 deste mês, no Estado de São Paulo (Brasil), soube nesta terça-feira à Angop.

  • 05/02/2019 16:47:25

    João Rosa Santos publica "Etu Mu Dietu" na sexta-feira

    Luanda - "Etu Mu Dietu, Crónicas ao Acaso", o mais recente rebento literário de João Rosa Santos, cujo lançamento estava previsto para Dezembro de 2018, sai apenas a público a 8 deste mês, em acto a ter lugar na União dos Escritores Angolanos (UEA).

  • 02/02/2019 02:11:17

    Resenha Cultural: Apresentação da Bienal de Paz de Luanda marca semana

    Luanda - A apresentação pública da primeira edição da Bienal de Paz de Luanda - Fórum Pan-Africano da Cultura da Paz em África, a acontecer entre 18 a 22 de Setembro deste ano, com a participação de 12 países, marcou a semana que hoje, sábado, termina.

  • 01/02/2019 12:19:24

    Bienal de Paz de Luanda marcada para Setembro

    Luanda - A primeira edição da Bienal de Paz de Luanda - Fórum Pan-Africano da Cultura da Paz em África acontece entre 18 a 22 de Setembro deste ano, com a participação de 12 países.