Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Lazer e Cultura

04 Julho de 2019 | 14h13 - Actualizado em 04 Julho de 2019 | 14h13

Escritora Júlia Lima participa em festival de poesia em Moçambique

Catumbela - A poetisa e escritora angolana de contos infantis Júlia Lima encontra-se na cidade de Xai-Xai, província de Gaza (Moçambique), onde representa esta semana a Associação Literária e Cultural de Angola (ALCA) na 4ª edição do Festival Internacional de Poesia, soube hoje, quinta-feira, a Angop.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Exposição de livros de temática diversa (arquivo)

Foto: António Escrivão

De acordo com o presidente da Associação Literária e Cultural de Angola (ALCA), Efraim Chinguto, que falava à Angop,  durante o festival, além de divulgar as suas obras, a escritora angolana vai dissertar sobre a “preservação das línguas nacionais” e a “literatura cibernética”.

Efraim Chinguto informou que o primeiro tema foi eleito pela ALCA, pelo facto de salvaguardar a matriz linguística africana, enquanto o segundo tema deve-se a necessidade de se discutir a eficácia, ou não, de se divulgar a literatura lusófona no espaço cibernético.

Afirmou que, hoje, o mundo globalizado, a internet, é um factor de conexão entre os povos.

Na mesma senda, disse que a juventude é a franja social que mais acede a internet, pelo que será benéfico utilizar-se esse meio para divulgação de obras de escritores lusófonos.

O Festival Internacional de Poesia de Moçambique é uma iniciativa da Associação Literária e Cultural Xitende, que existe desde 1996, e decorre até ao dia 06 de Julho corrente sob o lema “Unindo sons e letras”.

O festival contará com a presença de Ingrid Ellen (escritora brasileira e actuante da Poesia Marginal Brasileira), a brasileira Suely Vasconcelos (professora de literatura), Alexia Vieira (escritora portuguesa), Kanguimbu Ananaz, escritora, poetisa, membro da União dos Escritores Angolanos e Mestre em Literatura de Língua Portuguesa.

Farão parte, igualmente, Cláudia Leal, escritora portuguesa e Doutoranda em Estudos Africanos no ISCTE investigadora do projecto de investigação com as mulheres Moçambicanas combatentes, Júlia Lima, escritora angolana e membro da Associação Literária e Cultural de Angola, de Moçambique os seguintes escritores: Almeida Cumbane, Andes Chivangue, Cheina – irmão de Sebastião Alba (O FIP irá homenagear o Poeta Sebastião Alba).

Também Deusa d'África, Dom Midó das Dores, Dionísio Bahule, Lahissane, Luís Cezerilo, Paulina Chiziane, Poeta Militar, Bee Yoni Dragão, Elísio Miambo, Anselmo Sitoe, Mufana wa xithokozelo, Otldo Justino, Alex Dau, Prof. Aurélio Ginja, Agnaldo Bata, Féling Capela e outros farão parte do Festival Internacional de Poesia..

O FIP 2019 realiza-se no Paços do Conselho Municipal e abrangerá escolas secundárias da cidade, onde realizar-se-ão lançamentos de livros e palestras de promoção da leitura, na cidade de Xai-Xai.

Leia também
  • 24/06/2019 18:41:52

    Mais de 700 obras expostas na feira do livro da Ganda

    Ganda - Mais de 700 livros de temáticas diversas estão expostos numa feira que decorre no município da Ganda, província de Benguela, no quadro dos festejos dos 50 anos da sua ascensão a categoria de cidade, que hoje (24) se assinala, constatou a Angop.

  • 16/06/2019 18:12:37

    Falta de verbas condiciona manutenção do Museu de Etnografia do Lobito

    Lobito - O actual Museu de Etnografia do Lobito, em Benguela, nunca beneficiou de investimentos para manutenção da infra-estrutura, conservação de peças e pesquisas, desde que foi reaberto em 1978, disse hoje o seu director, Cipriano de Sousa.

  • 23/04/2019 19:30:31

    Escritor critica modelo de "mediatização" da nova vaga

    Benguela - O escritor angolano Gociante Patissa criticou, nesta terça-feira, na cidade de Benguela, o modelo de "mediatização" empreendido por alguns jovens que querem entrar no mundo literário, sem ter em conta que o ofício exige prática constante, auto-superação e amadurecimento.