Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Lazer e Cultura

18 Outubro de 2019 | 03h02 - Actualizado em 18 Outubro de 2019 | 06h54

Duetos na Avenida com show de humor e homenagem a Mig

Luanda - Humor e música, onde os protagonistas foram Calado Show e Gilmário Vemba, marcaram o segundo concerto da terceira temporada do projecto Duetos na Avenida, cuja homenagem recaiu para o músico Mig.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Com uma assistência de aproximadamente 450 pessoas, na Casa 70, em Luanda, a dupla abriu o espectáculo com um tema ligado ao relacionamento entre homens e mulheres no lar, deixando uma reflexão à sociedade sobre alguns comportamentos menos bom.

De seguida subiu o homenageado da noite, que, em duetos, interpretou  sucessos como O Mundo (com Calado Show), Maka Mami (com Gilmário Vemba) e Senhor Guarda (cantada pelos três).


Enquanto a primeira parte tratou do quotidiano dos lares, a seguinte ocupou-se com assuntos sociais das comunidades, contados em piadas, merecendo aplausos da plateia.


Durante o espectáculo interactivo, Calado Show e Gilmário Vemba “ofereceram” dança e música aos seus admiradores, elementos que ajudaram a soltar muitos presentes inicialmente tímidos, mas que não resistiram e participaram da festa.

Para o homenageado da noite (Mig), o momento não serve apenas para desfrutar do show de humor que o espectáculo oferece mas também para  mostrar o casamento entre as artes.  

“Agradeço a homenagem e espero poder participar na alegria de muitos amantes da música angolana”, disse emocionado pelo gesto da organização do evento.

Martins Miguel Zau “Mig”, autor dos sucessos “Cici”, “Belas Sulanas” e “Maka Mami”, sendo esta música com a qual venceu, em 2006, o Top dos Mais Queridos, esteve fora dos palcos por problemas de saúde, após várias cirurgias.

Tem três discos: Universo (1992); Ximunzenze (2005) e Melancia Preta (2016), interpretadas no estilo rumba, zouk, semba e bolero.

Mig tornou-se conhecido em 1974, um ano antes de integrar a banda Luanda Ritmo. Colaborou em 1981 com a banda Os Fachos, em 1982 juntou-se ao Som da Juventude, dois anos mais tarde entrou para Os Anjos, Super Muanza Angola (1985), Os Brilhantes (1987) e venceu o prémio da Canção de Luanda (2005) e Top dos Mais Queridos em 2006.

Assuntos Música  

Leia também
  • 18/10/2019 02:09:35

    Angolanos e portugueses partilham tributo a Amália Rodrigues

    Luanda - Músicos conceituados angolanos e portugueses, numa noite de fado, interpretaram na noite desta quinta-feira, no Cine Atlântico, em Luanda, os melhores sucessos de Amália Rodrigues, naquele que viria a ser um tributo a esta portuguesa, considerada a rainha deste estilo musical.

  • 14/10/2019 15:38:13

    Artistas da Huíla exaltam Chico Montenegro

    Lubango - Artistas da Huíla exaltaram, nesta segunda-feira, a valências do compositor, percussionista e intérprete Chico Montenegro.

  • 13/10/2019 18:08:45

    Jovens do Prenda homenageados no Muzungué da Tradição

    Luanda - Os músicos Calabeto, Augusto Chacaya, Margareth do Rosário, Bessa Teixeira e António Paulino, foram convidados a subir ao palco do Muzongué da Tradição de hoje, domingo, para homenagear a banda Jovens do Prenda, no Centro Recreativo Kilamba, em Luanda.