Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Lazer e Cultura

22 Janeiro de 2020 | 01h24 - Actualizado em 23 Janeiro de 2020 | 11h12

Actuação da aviação angolana abordada em livro

Luanda - Um livro técnico que evidencia a actuação da aviação militar angolana, desde os conflitos gerados por potências mundiais em que o país era o palco de confrontação, as baixas humanas e tecnológicas entre as partes, foi colocado a disposição dos leitores na terça-feira, em Luanda.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Humberto Campos Abrante Autor da Obra ´A Enciclopédia da Aviação Militar 1975-1991` assina obra

Foto: António Escrivão

Humberto Campos Abrante Autor da Obra ´A Enciclopédia da Aviação Militar 1975-1991`

Foto: António Escrivão

De autoria do piloto angolano Humberto Campos Abrantes, a obra conta ao detalhe as tácticas empregues pelas forças oponentes, bem como as difíceis condições que propiciou perdas humanas devido aos meios inadequados para o efeito no período entre 1975 a 1991.

Para Humberto Abrantes “A Enciclopédia da Aviação Militar 1975-1991 revêem uma serie de nuances que podem servir para o despertar de historiadores e o pessoal da viação e não só, sobre a importância desta no mosaico histórico de Angola.

O autor disse que as elevadas perdas que se registaram nesse período deu-se pelo facto de os jovens, naquela época, não estarem suficientemente preparados para dominar as técnicas sofisticadas dos helicópteros, devido o contexto em que se vivia para formar técnicos, aliado a falta de condições dos meios de serviço.

“Se houvesse aviões e helicópteros preparados com blindagens para os campos de guerra e criadas outras condições para actuação dos especialistas se evitariam vários desastres registados na época,”reforçou.

De acordo com o autor, as acções militares realizadas em condições desfavoráveis não foram devidamente compensadas.

Disse que actualmente verifica-se um elevado grau de desenvolvimento, tendo em conta que os níveis de escolaridades aumentaram com o surgimento das academias, escolas de formação aeronáuticas e como resultado a redução do dos acidentes aéreos.

Para Alberto Neto, um dos fundadores da força aérea angolana, a obra é um contributo que irá servir para as próximas gerações e espera que surjam mais iniciativas do género.

No seu entender as baixas humanas deram se também porque muitos helicópteros eram adaptados para o serviço militar, uma vez que os mesmos eram produzidos para transporte de carga e agricultura e Angola serviu como uma experiência com os helicópteros cedidos pela Rússia, que eram materiais que nunca tinham sido usados em nenhuma parte do mundo.

Nascido em Benguela, Humberto Abrantes aderiu as FAPLA em 1975, em 1977 transitou Para a FAPA/DAA (Fórça Áerea Popular de Angola) entre outros níveis e graus.

Assuntos Cultura  

Leia também