Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

30 Outubro de 2013 | 17h15 - Actualizado em 30 Outubro de 2013 | 17h15

Interdição de Ensaios Nucleares é um dos acordos mais aderidos da história

Luanda - O Tratado sobre a Interdição Completa de Ensaios Nucleares é um dos acordos internacionais mais aderidos da história, assinado por 182 países, incluindo cinco grandes potências nucleares, e já foi ratificado por 153 desses Estados.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Lussiana Zerbo - Secretário Executivo da CTBO

Foto: Rosário

A afirmação é do secretário executivo da Comissão Preparatória da Organização para a Interdição Completa dos Tratados Nucleares (CTBTO), Lassina Zerbo, que discursava durante um Seminário nacional sobre o Tratado de Interdição Completa dos Ensaios Nucleares, que decorre hoje, na capital do país, sob os auspícios do Ministério das Relações Exteriores (MIREX).

Na sua intervenção, referiu que, o documento, que interdita as explosões nucleares para fins civis ou militares, foi concluído em 24 de Setembro de 1996 e, Angola foi um dos primeiros países a assinar.

O diploma explicou, que  tem como principais obrigações, que cada Estado participante compromete-se a não realizar qualquer teste nuclear ou qualquer explosão nuclear, e a proibir e prevenir tal explosão nuclear em qualquer território sob a sua jurisdição ou controlo.

O Estado participante deverá além disso, abster-se de causar, incitar, ou participar de qualquer maneira na realização de testes ou explosões nucleares , disse.

Nas cinco décadas seguintes à II Guerra Mundial, um ensaio nuclear abalou e irradiou o planeta, em média, a cada nove dias. Esta era terminou em 1996, quando o Tratado de Interdição Completa de Ensaios Nucleares foi adoptado pela Assembleia-Geral das Nações Unidas.

A Comissão Preparatória para a Organização do Tratado de Interdição Completa de Ensaios Nucleares (CTBTO), é uma organização internacional com sede em Viena (Áustria), que foi criada para elaborar o regime de verificação.

A geofísica e outras tecnologias são usadas para monitorizar o cumprimento do Tratado, designadamente a sismologia, hidroacústica, infra-sons, e monitorização de radioisótopos.

Assuntos MIREX  

Leia também
  • 05/02/2019 12:45:03

    Angola defende maior impulso na cooperação com RDC

    Luanda - O ministro das Relações Exteriores, Manuel Augusto, disse esperar que o novo governo da República Democrática do Congo (RDC) possa dar uma nova dinâmica aos projectos de cooperação existentes entre os dois países.

  • 24/01/2019 08:36:22

    Manuel Augusto a caminho da RDC

    Luanda - O ministro das Relações Exteriores, Manuel Augusto, deslocou-se na manhã desta quinta-feira para Kinshasa, República Democrática do Congo (RDC), onde vai representar o Chefe de Estado angolano, João Lourenço, na cerimónia de investidura do Presidente eleito daquele país, Félix Tshisekedi.

  • 18/01/2019 21:46:16

    Ministro das Relações Exteriores está em Antananarivo

    Luanda - O ministro das Relações Exteriores, Manuel Augusto, em representação do Chefe de Estado, João Lourenço, participa, sábado, em Antananrivo (Madagáscar), na cerimónia de investidura do presidente eleito deste país, Andry Rajoelina, que venceu as eleições de Dezembro último.

  • 08/01/2019 10:39:20

    Manuel Augusto discute cooperação com homólogo dominicano

    Luanda - O ministro angolano das Relações Exteriores, Manuel Domingos Augusto, abordou nesta terça-feira, em Santo Domingo, com o seu homólogo da República Dominicana, Miguel Vargas, questões relacionadas com a cooperação bilateral e de assuntos da actualidade internacional.