Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

17 Dezembro de 2016 | 11h42 - Actualizado em 17 Dezembro de 2016 | 11h42

"Melhorar o que está bem e corrigir o que está mal" é o novo lema estratégico do MPLA

Icolo e Bengo - O novo lema estratégico para vencer as próximas eleições em 2017, pelo partido no poder em Angola, MPLA, é "Melhorar o que está bem e corrigir o que está mal", soube à Angop, sexta-feira, na vila de Catete, município de Icolo e Bengo, em Luanda, de fonte partidária.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Bandeira do MPLA

Foto: Divulgação

Afirmação foi proferida pelo membro do Comité Central do MPLA e Coordenador Adjunto do Grupo de Acompanhamento do Secretariado do Bureau político para o Comité Municipal do mesmo Partido de Icolo e Bengo, Adriano Meireles Patrocínio, quando presidia a uma magna reunião com todos os primeiros secretários dos comités de acções locais.

O político dizia que a estratégia foi concebida na segunda reunião do Comité Central do MPLA reunida no passado dia 2 do corrente mês, na sua segunda sessão ordinária que aprovou, para além da síntese da estratégia eleitoral, o programa de governação do MPLA para o quinquénio de 2017 a 2022, ressaltando que o mesmo continua em aberto visando acolher mais contribuições.

O encontro, que decorreu no anfiteatro do Comité Municipal do MPLA, serviu para entre outras discussões, abordar precisamente elementos e factores que concorram para a vitória do MPLA nas próximas eleições (2017) e do registo eleitoral de todos os militantes e da população em geral.

Durante a reunião, Adriano Patrocínio exortava aos militantes presentes para o redobrar de esforços na união e coesão interna do partido e prestar uma maior atenção a formação dos delegados de lista.

"Vamos ser sim, frontais com respeito e responsabilidade, pois, unidos na diversidade, podemos ter pensamento divergentes em determinados momentos e acções, mas tudo isto não deve minar ou perigar o nosso sentido, o sentido do trabalho em prol da conquista da vitória do MPLA na próximas eleições gerais”, reiterou, o político, exortando os demais militantes presente.

Enquanto visitou o município, acompanhado por outros membros e militantes do seu partido, Adriano Patrocínio, foi informado sobre os projectos em cursos e feitos no domínio da distribuição de água, energia eléctrica, educação e saúde, agricultura, das vias rodoviárias, entre outras.

Nesta senda, disse que foram tomadas boas notas das preocupações e prometeu levá-las às autoridades superiores partidárias e governamentais, visando auxiliar na correcção e implementação certa para o desenvolvimento socioeconómico das famílias angolanas nesta parcela do território nacional.

Relativamente ao registo eleitoral, pediu aos militantes maior esforços para que todos os possam estar já registados, uma vez que o partido do MPLA no município controla 20 mil e 128 militantes.

" Temos que fazer de tudo para registar os quatro mil militantes que faltam, para atingir o máximo de militantes no registo eleitoral. Este é o principal segredo para a vitória do MPLA neste processo de registo", esclareceu.

O Comité Municipal de Icolo e Bengo do MPLA é composto por 55 membros, dos quais 20 mulheres. Controla 20 mil e 128 militantes, dos quais dez mil 139 são do género feminino, com 210 comités de acção.

De recordar que o município de Icolo e Bengo tem uma extensão territorial de 3.185 quilómetros quadrados, com uma população estimada em 73 mil 418 habitantes, com base nos dados finais do Censo Populacional e Habitacional de 2014.

Assuntos MPLA   Política  

Leia também