Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

07 Março de 2017 | 14h59 - Actualizado em 07 Março de 2017 | 14h56

Angola: UNITA pondera queixa contra imprensa

Luanda - A UNITA pondera recorrer a organismos internacionais, caso as empresas públicas de comunicação social do país mantiverem o formato das coberturas "aparatosas" dos actos políticos de apresentação do candidato do MPLA a Presidente da República, João Lourenço.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Presidente do Grupo Parlamentar da UNITA, Adalberto da Costa Júnior (arq)

Foto: Alberto Julião

A advertência foi feita nesta terça-feira, em Luanda, pelo presidente do Grupo Parlamentar do partido, Adalberto da Costa Júnior, que disse já terem dirigido cartas de protesto às direcções da Televisão Pública de Angola (TPA), Rádio Nacional de Angola (RNA), Jornal de Angola (JA) e ao Conselho Nacional de Comunicação Social, sugerindo a revisão das suas linhas editoriais.

"Envolvemos as instâncias superiores e, se nada for alterado, recorreremos a organismos internacionais, porque nessa altura já teremos esgotado a capacidade de intervenção das instituições nacionais", alertou, em conferência de imprensa.

Considerou ilegais os "tempos de antena extraordinários" atribuídos ao candidato do MPLA, pelo facto de o país "não se encontrar ainda em período de campanha eleitoral".

Para Adalberto da Costa Júnior, as eleições são processos normais, cívicos e como tal devem transformar-se em festa, dando a oportunidade de os cidadãos exercerem a sua máxima fiscalização e escolherem livremente quem os deve governar.

Informou que o Grupo Parlamentar da UNITA apresentou na última plenária da Assembleia Nacional, a 23 de Fevereiro, um voto de protesto, e convidou o MPLA a corrigir o que considerou "múltiplas violações à Constituição e às leis ordinárias".

"O interesse da UNITA será sempre a abordagem de eleições em ambiente de tranquilidade, de garantia para todos de igualdade de tratamento na imprensa", declarou.

Durante a conferência de imprensa, o dirigente político apresentou dois projectos de leis, que o partido remeteu à Assembleia Nacional, em regime de urgência, para serem apreciados na 5ª Reunião Plenária Ordinária, marcada para 21 deste mês.

Trata-se do Projecto de Lei Orgânica sobre as Bases do Sistema de Organização e Funcionamento do Poder Local, e o Projecto de Lei da Tutela Administrativa sobre as Autarquias Locais.

Assuntos Angola   Eleições   Parlamento   UNITA  

Leia também
  • 07/03/2017 14:13:05

    Angola: Comissário pede carisma no (ISCPC)

    Luanda - O segundo comandante-geral da Polícia Nacional, comissário chefe Paulo de Almeida, recomendou, nesta terça-feira, que a influência, o carisma e sentido de liderança passem a ser a marca dos docentes do Instituto Superior de Ciências Policiais e Criminais (ISCPC).

  • 07/03/2017 13:30:45

    Angola: UNITA legisla sobre poder local

    Luanda - O Grupo Parlamentar da UNITA solicitou ao presidente da Assembleia Nacional, Fernando da Piedade Dias dos Santos, o agendamento, em carácter de urgência, de dois Projectos de Lei relactivos ao poder local.

  • 06/03/2017 21:10:36

    Angola: Registo de eleitores anima MPLA

    Luanda - O secretário do Bureau Político do MPLA para a Organização e Mobilização, Jorge Inocêncio Dombolo, congratulou-se nesta segunda-feira, em Luanda, com os números de eleitores registados desde o início do processo, a 25 de Agosto de 2016.