Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

23 Junho de 2017 | 20h21 - Actualizado em 27 Junho de 2017 | 12h13

Angola: Desminados mais de três biliões de metros quadrados

Luanda - De 1996 a 2017 foram desminados em Angola três biliões, 483 milhões, 653 mil e 086 metros quadrados (equivalente a três mil 483, 7 quilómetros quadrados) que correspondem a 108.506. 355 metros quadrados de estrada, 7. 765.409 metros quadrados de engenhos explosivos não detonados.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Minas Desativadas

Foto: Gaspar dos Santos

Esta  é uma  das conclusões saídas da  Conferencia Nacional de Desminagem que decorreu  em Luanda de 22 a 23 do corrente mês  sob o lema  “ Angola livre de minas, rumo ao desenvolvimento”.

De acordo com o comunicado final saído do encontro, os  resultados até agora obtidos no  Programa Nacional de  Desminagem permitiram a livre circulação  de pessoas e bens,  o processo de reconstrução  nacional e o relançamento do pais para o desenvolvimento .

Refere que  as actividades de desminagem e o processo de educação  sobre o risco de minas reduziram consideravelmente o número de acidentes com minas e outros engenhos explosivos remanescentes da  guerra.

 Para os  participantes  a conferência,  permanece o desafio da continuidade do programa, não obstante o investimento do Executivo angolano e seus parceiros no programa de desminagem com os  resultados satisfatórios verificados.

 Os  conferencistas recomendam  o continuo fortalecimento do programa nacional de desminagm e os mecanismos de articulação  com as acções  de reconstrução e desenvolvimento.

 Desminar por completo  o território, com prioridade para as tarefas de desminagem humanitária  e os grandes projectos de impacto sócio-ecnómico, assim como  envidar esforços na obtenção  e disponibilização de recursos  para as operações  de desminagem são outras das recomendações saídas do encontro.

 Recomendaram  de igual modo o engajamento  ainda mais da  comunicação social na educação  das populações  sobre o risco de minas e outros engenhos explosivos não detonados  e concluir o  projecto  de registo das vítimas de minas e a criação da base de dados.

 Sugeriram que  a comissão Executiva de Desminagem passe a gerir o processo de gestão e controlo da qualidade das áreas  desminadas pelos operadores  públicos, onde as equipas da comissão nacional intersectorial de desminagem e assistência humanitária não tenham possibilidade de actuar.  

 A conferência  abordou temas como a situação geral da desminagem, o impacto da desminagem na diversificação da economia, a assistência e reinserção às vitimas de minas, educação e prevenção sobre o risco de minas,  financiamento do programa nacional de desminagem e  cumprimento da Convenção de Otawa e dimensão internacional do programa de desminagem.

Assuntos Angola   Desminagem  

Leia também
  • 05/02/2019 17:02:49

    RDC considera legítima protecção da riqueza de Angola

    Luanda - O Presidente da República Democrática do Congo (RDC), Félix Tshisekedi, reconheceu, nesta terça-feira, em Luanda, legitimidade de Angola na protecção da sua riqueza, face à exploração de estrangeiros ilegais.

  • 05/02/2019 15:54:26

    PR prioriza cooperação com RDC

    Luanda - O Presidente da República, João Lourenço, apontou hoje, terça-feira, como prioridades a cooperação nos domínios da segurança e economia com a República Democrática do Congo (RDC).

  • 05/02/2019 05:43:18

    Pinda Simão enaltece sacrifício dos nacionalistas

    Uíge - O governador provincial do Uíge, Pinda Simão, enalteceu o empenho dos heróis de 04 de Fevereiro, que deram à sua vida e consentiram sacrifícios para o alcance da independência nacional.

  • 04/02/2019 15:03:59

    Embaixador ressalta cooperação com a Itália

    Luanda - O embaixador de Angola na Itália, Florêncio de Almeida, considera que a visita de Estado do Presidente italiano ao país, a decorrer de 05 a 07 deste mês, constitui um sinal claro de profunda amizade e vai consolidar os laços históricos entre os dois Estados e povos.