Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

14 Julho de 2017 | 19h08 - Actualizado em 14 Julho de 2017 | 19h08

Huambo: Ambiente político do país favorece actividade sindical - Unta-CS

Huambo - O ambiente político do país, assente no Estado democrático e de direito, favorece, de forma inequívoca, o desenvolvimento da actividade sindical em toda comunidade, quer seja urbana, quer seja rural, no âmbito dos direitos e liberdades do cidadão, consagradas na Constituição da República.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

O reconhecimento é do secretário-geral da União dos Trabalhadores Angolanos – Confederação Sindical (Unta-CS), Manuel Augusto Viage, quando intervinha hoje, sexta-feira, na  plenária sindical regional centro-sul de Angola.

Afirmou que as sociedades modernas e democráticas, tal como a República de Angola, consagram à liberdade de associação como forma mais aperfeiçoada de participação dos cidadãos nos assuntos do Estado e cuja actividade das mesmas deve ter em conta os direitos fundamentais da pessoa humana e as capacidades reais da economia.

O dirigente sindical sublinhou que o ambiente político angolano permite que os trabalhadores contribuam com as suas aptidões profissionais na geração de riqueza nacional, em função das medidas e políticas públicas.

Neste sentido, Manuel Augusto Viage explicou que a Unta-CS estabeleceu, recentemente, uma pauta sócio-laboral, encaminhada aos partidos políticos concorrentes às eleições gerais de 23 de Agosto, que se baseia na estabilidade do emprego, melhoria das condições de trabalho, de formação e capacitação contínua dos trabalhadores, bem como o asseguramento das suas competências profissionais.

A pauta, de acordo com o sindicalista, contempla igualmente o respeito à liberdade sindical, a adopção de salários compatíveis com o custo de vida, a justiça laboral competente, célere e isenta, o diálogo social, adopção de um programa de trabalho decente, a redução da taxa de desemprego, o combate ao trabalho infantil e a gestão tripartida da segurança social.

O sindicalista explicou que a organização defende, por esta razão, uma gestão competente e competitiva das empresas, de modo a serem mais produtivas e capazes de proporcionarem mais emprego, enquanto factor de estabilidade das famílias e, ao mesmo tempo, de paz social, sobretudo, nesta fase de reconciliação e de reconstrução.

Participaram no encontro, sindicalistas das províncias do Huambo, Bié, Benguela, Namibe, Cunene, Cuando Cubango e da Huíla.

Assuntos Província » Huambo  

Leia também