Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

25 Agosto de 2017 | 15h47 - Actualizado em 29 Agosto de 2017 | 11h45

Eleições/2017: CNE esclarece sobre procedimentos de apuramento de votos

Luanda - A porta-voz da Comissão Nacional Eleitoral (CNE), Júlia Ferreira, esclareceu hoje, sexta-feira, em Luanda, que o apuramento de votos é feito, não só em actas, mas num conjunto de outros documentos que reflectem todas as ocorrências verificadas nas mesas das assembleias de voto.

Por: LUANDA

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Eleições 2017: Júlia Ferreira, Porta Voz da CNE (ARQUIVO)

Foto: Joaquina Bento

Em declarações à imprensa, após fazer a actualização dos resultados provisórios das eleições gerais do dia 23 de Agosto, disse a  propósito  que  "se existem boletins de voto reclamados que não foram resolvidos, esses sobem para as comissões provinciais eleitorais para sua solução".

Por outro lado, explicou, há um série de exercícios e procedimentos que têm de ser feitos para que as províncias façam o apuramento provincial, por isso  é que "mesmo que os partidos tenham em sua posse as actas sínteses das assembleias de voto e as actas das operações eleitorais, é preciso perceber que há um outro conjunto de elementos e documentos, que concorrerem para o apuramento provincial e nacional”. 

Este conjunto de elementos, apontou, não está ao dispor dos partidos, razão pela qual existe um centro de escrutínio nacional equipado com soluções tecnológicas e  softwares  adequados para que todo o processo de apuramento e escrutínio seja feito tendo em atenção as informações recebidas.

Júlia Ferreira lembrou que o prazo do apuramento e divulgação dos resultados eleitorais províncias, de acordo com a Lei Orgânica sobre Eleições Gerais, é de sete dias, a contar da data da votação, e a nível nacional  15 , para que depois se faça a conversão dos votos em mandatos nos circulos provincial e nacional.

“Vamos aguardar com serenidade. O processo está a decorrer bem, estamos a cumprir o período estabelecido na lei e apelo aos eleitores, cidadãos e  povo em geral a continuar a aguardar pelos resultados eleitorais, com a mesma serenidade,  postura, civismo e  confiança na CNE”, enfatizou.
 
Dados provisórios hoje divulgados pela CNE,  apontam o MPLA à frente da contagem de votos com 61,10% dos votos, seguido da UNITA, 26,71%, CASA-CE , 9,46%, PRS, 1,33%, FNLA, 0,90%, e APN, 0,49%

Assuntos Eleições  

Leia também
  • 04/02/2019 07:19:34

    Unita apela a participação nas tarefas das eleições autárquicas

    Uíge - O secretário da Unita no Uíge, Félix Simão Lucas, apelou, sábado, na aldeia Culo, 27 quilómetros a nordeste da cidade do Uíge, a população da província a participar, de forma activa, nas tarefas de preparação das eleições autárquicas, a decorrer no país em 2020.

  • 25/01/2019 12:47:31

    Angola e RDC preparam encontros bilaterais

    Kinshasa (Dos enviados especiais) - Angola e a República Democrática do Congo (RDC) vão manter, nos próximos dias, "encontros ao mais alto nível" para traçar o futuro das relações bilaterais, revelou quinta-feira à noite, em Kinshasa, o ministro angolano das Relações Exteriores, Manuel Augusto.

  • 25/01/2019 12:08:09

    Tshisekedi recebe em audiência chefe da diplomacia angolana em Kinshasa

    Kinshasa (Dos enviados especiais) - O novo presidente da República Democrática do Congo (RDC), Félix Tshisekedi, recebeu em audiência, quinta-feira à noite, em Kinshasa, o ministro angolano das Relações Exteriores, Manuel Augusto, para abordar o futuro das relações bilaterais, constatou a Angop no local.

  • 24/01/2019 14:48:42

    Manuel Augusto na investidura de Tshisekedi

    Kinshasa (Dos enviados especiais) - O ministro angolano das Relações Exteriores, Manuel Augusto, esteve entre as personalidades presentes, esta quinta-feira, em Kinshasa, na cerimónia de investidura de Félix-Antoine Tshisekedi Tshilombo como novo presidente da República Democrática do Congo (RDC), constatou a Angop no local.