Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

12 Setembro de 2017 | 14h42 - Actualizado em 13 Setembro de 2017 | 14h37

Angola: Tribunal Constitucional julga improcedente recurso do PRS

Luanda - O Tribunal Constitucional (TC) considerou improcedente o recurso de contencioso eleitoral apresentado pelo Partido de Renovação Social (PRS) relativo à impugnação dos resultados das eleições de 23 de Agosto.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Mandatário do PRS, Manuel Muxito (à esq.), recebe Acordão

Foto: Alberto Juliao

No Acórdão, entre outros assuntos, o Tribunal sustenta que não resultou, da apreciação dos autos, a demonstração de eventuais prejuízos para os resultados eleitorais e do apuramento definitivo.

De igual modo, sustenta que no que toca ao pedido de atribuição de um mandato nos círculos eleitorais da Lunda Norte e Lunda Sul, os elementos de prova apresentados não demonstram prejuízo neste sentido.

Refere ainda que a junção aos autos de documentos com fortes índices de falsificação, nomeadamente, actas de operações eleitorais com o propósito de buscar vantagem eleitorais injustificadas, constitui infracção eleitoral e criminal.

Por essa razão, refere o Tribunal, será lavrada a respectiva certidão, dando-se conhecimento ao Ministério Público para os devidos efeitos legais.   

Em declarações à imprensa, sem citar directamente o conteúdo do Acordão, o mandatário do PRS, Manuel Muxito, referiu que esta formação política irá reunir-se, de seguida, para abordar a decisão do Tribunal Constitucional.

“A lei é clara, após decisão do TC já não há mais recurso algum e o partido deve conformar-se com a decisão”, disse.

O PRS apontou alguns aspectos relativos a prováveis irregularidades no processamento dos votos, em algumas províncias, pelo que exigia a impugnação das eleições.

O Plenário do TC encontra-se ainda reunido e deverá igualmente pronunciar-se sobre os recursos apresentados pela UNITA, CASA-CE e FNLA.

De acordo com a Lei Eleitoral, as decisões do TC, integrado por 11 juízes com competência de apreciar, em última instância, a regularidade e a validade das eleições, julgando os recursos interpostos sobre eventuais irregularidades verificadas durante a votação e o apuramento dos votos, são inapeláveis.

Os resultados eleitorais definitivos das eleições gerais deram vitória ao MPLA e ao seu candidato, João Lourenço, por 61,08% de votos. A UNITA obteve 26,68%, a coligação CASA-CE 9,45%, o PRS 1,35%, a FNLA 0,93% e a APN 0,51%. 

Com este percentual, o MPLA elegeu 150 deputados à Assembleia Nacional, a UNITA 51, CASA-CE 16, PRS dois, FNLA um e APN sem qualquer deputado. O Hemiciclo tem uma composição de 220 parlamentares.

Leia também
  • 13/09/2017 12:47:39

    Zaire: Mbanza Kongo livre de material de propaganda eleitoral

    Mbanza Kongo - A cidade de Mbanza Kongo, capital da província do Zaire, já está "livre" do material de propaganda eleitoral colocado pelas formações políticas concorrentes nas eleições gerais de 23 de Agosto deste ano.

  • 13/09/2017 12:18:41

    Eleições/2017: Tribunal nega provimento ao recurso da CASA-CE

    Luanda - O Tribunal Constitucional negou hoje, quarta-feira, em Luanda, o provimento ao recurso apresentado pela coligação CASA-CE, que solicitava a impugnação dos resultados das eleições de 23 de Agosto por alegadas violações da Comissão Nacional Eleitoral (CNE).

  • 12/09/2017 23:03:04

    Eleições2017: Tribunal Constitucional reprova recurso interposto pela FNLA

    Luanda - O plenário do Tribunal Constitucional (TC) considerou nesta terça-feira, em Luanda, infundado o recurso interposto pelo partido político FNLA, para a impugnação das eleições gerais de 23 de Agosto último, por alegadas irregularidades no processamento dos votos.