Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

06 Outubro de 2017 | 13h23 - Actualizado em 06 Outubro de 2017 | 13h47

Angola: Autoridades tradicionais apelam à dignificação do seu trabalho

Luanda - O Núcleo das Autoridades Tradicionais e Reis de Angola (NATRRAL) manifestou hoje (sexta-feira) disponibilidade de continuar a trabalhar com a nova direcção do Ministério da Administração do Território e Reforma do Estado, para a melhoria das condições de vida das comunidades e dignificação da classe.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Autoridades tradicionais querem prestígio

Foto: José Cachiva

Em declarações à Angop sobre a expectativa das autoridades tradicionais em torno do novo ministro da Administração do Território e dos governadores provinciais, o coordenador do NATRRL, João Miguel, salientou que espera pela continuidade na busca por um estatuto que dignifique as autoridades tradicionais, quer na vertente salarial quer em prestígio junto das comunidades.

Lembrou que existe o ante-projecto de estatuto que deverá ser aprovado no III encontro das autoridades tradicionais, cuja realização depende dos contactos com a actual direcção do Ministério da Administração do Território e Reforma do Estado.

Para o responsável, que aproveitou para felicitar o novo ministro e governadores províncias, as autoridades tradicionais são parceiras do poder executivo na harmonização do país e no desenvolvimento territorial, pelo que espera que estas questões sejam resolvidas pelo ministério.

O Presidente da República, João Lourenço, sublinhou, no seu discurso de investidura, que "as autoridades eclesiásticas e as tradicionais, enquanto parceiras do Estado, têm cumprido o seu papel no árduo processo de harmonização e moralização da sociedade e de inclusão da maioria dos angolanos".

Assuntos Reconhecimento  

Leia também