Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

12 Janeiro de 2018 | 16h53 - Actualizado em 12 Janeiro de 2018 | 16h52

Marcolino Moco enaltece espírito de abertura no país

Luanda - O antigo primeiro-ministro Marcolino Moco, empossado hoje, sexta-feira, nas funções de administrador não executivo da petrolífera angolana Sonangol, enalteceu que o país vive uma nova era marcada pelo espírito de abertura, sobretudo, na imprensa.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Dois administradores não executivos da Sonangol. Marcolino Moco (à esq.) e Lopo do Nascimento

Foto: Francisco Miúdo

Administrador não executivo da Sonangol, Marcolino Moco

Foto: Francisco Miúdo

Marcolino Moco falava à imprensa depois de ter sido empossado pelo Presidente da República, João Lourenço, no cargo, numa cerimónia em que também foram investidos, entre outros, mais um membro da administração da Sonangol, os novos responsáveis do Fundo Soberano de Angola, um assessor e outro consultor do Chefe de Estado.

O político, que já foi secretário-geral do MPLA, corrobora da ideia do Presidente João Lourenço de que o seu regresso e de Lopo do Nascimento, para funções executivas “é enriquecedor” para o país.

Acredita que os resultados das mudanças em curso poderão ser sentidos dentro de algum tempo.

Apontou como uma das prioridades na Sonangol a distribuição de combustíveis, particularmente, no interior do país.

Disse que apesar de ser indicado administrador não executivo e conselheiro vai continuar a exercer as suas actividades como profissão liberal, muito interessado em reflexões, pensando no país e no continente africano, tendo em conta a sua experiência como governante e diplomata.

Marcolino Moco foi primeiro-ministro entre 1992 e 1996. Exerceu, igualmente, as  funções de secretário-geral do MPLA.

Ficou afastado do aparelho do Estado durante várias décadas, período em que se tornou critico à liderança do MPLA.

Na mesma senda, Lopo do Nascimento exerceu o cargo de primeiro-ministro desde o primeiro dia de independência, a 11 de Novembro de 1975, até 09 de Dezembro de 1978, e foi entre 1991 e 1992 ministro da Administração do Território.

No plano partidário, em 1993 ocupou o cargo de secretário-geral do MPLA.

Leia também
  • 12/01/2018 18:03:17

    Presidente do Zimbabwe termina visita a Angola

    Luanda - O Presidente da República do Zimbabwe, Emmerson Mnagagwa, já deixou Luanda, depois de cumprir uma visita de trabalho de algumas horas ao país, destinada a abordar, com as autoridades angolanas, questões relativas à situação política reinante no seu país.

  • 12/01/2018 17:45:23

    Chefe de Estado já fez declaração de bens

    Luanda - O Procurador-Geral da República, Hélder Pitta Grós, confirmou hoje, sexta-feira, que o Chefe de Estado angolano, João Lourenço, e o vice-presidente da República, Bornito de Sousa, entregaram, em tempo oportuno, as respectivas declarações de bens, no quadro da Lei da Probidade Pública.

  • 12/01/2018 16:11:10

    João Lourenço e Mnangagwa analisam situação no Zimbabwe

    Luanda - O evoluir da situação política no Zimbabwe, país que prepara a realização de eleições este ano, foi um dos assuntos analisados no encontro mantido nesta sexta-feira, em Luanda, entre os presidentes de Angola, João Lourenço, e do Zimbabwe, Emmerson Mnangagwa.