Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

02 Fevereiro de 2018 | 16h56 - Actualizado em 02 Fevereiro de 2018 | 16h42

Cuando Cubango: Angolanos devem honrar heróis do 4 de Fevereiro

Menongue - A vice-governador do Cuando Cubango para os sectores político, social e económico, Sara Luísa Mateus, considerou na quinta-feira necessário que os angolanos cumpram com zelo e dedicação as suas incumbência para honrar os heróis do 4 de Fevereiro de 1961.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Cuando Cubango: Sara Luísa Mateus vice-governadora

Foto: Armando Morais

A responsável falava na abertura das actividades comemorativas do 57º aniversário do Início da Luta Armada de Libertação Nacional - 4 de Fevereiro de 1961.

Para a vice-governadora, “De formas a honrar os heróis do 4 de Fevereiro é necessário que cada jovem, adulto, político, autoridade tradicional, eclesiástica e todas as forças vivas da sociedade, cumpram com zelo e dedicação a missão que lhe for incumbida.

Sara Luísa Mateus sublinha que as novas gerações devem ser motivadas a participar, de forma activa, no processo de criação de condições para a melhoria da vida da população, no desenvolvimento do país e na consolidação do Estado Democrático e de Direito.

“Em obediência ao lema - Gloria Eterna aos Heróis da Pátria - os valorosos combatentes que deram o melhor de si, para o alcance da liberdade do povo angolano, representam o orgulho de todos, por isso, devem ser eternamente lembrados e os seus actos de coragem devem continuar a nortear todas as acções das gerações presentes e futuras”, ressaltou.

De acordo Sara Luísa Mateus, o 4 de Fevereiro de 1961 constitui num marco importante da luta dos africanos contra o jugo colonial, dando continuidade da tradicional resistência à ocupação que vinha desde os seculos XVI e XVII, conduzidos por Ngola Kiluanje, Njinga Mbandi, Mandume-Ya-Ndumefayo e outros.

Disse igualmente que data constitui um marco indelével na história da resistência ao regime colonial-fascista português, para o alcance da independência nacional, a 11 de Novembro de 1975.

Recordou que as prisões e outros maus tratos a vários angolanos levaram alguns nacionalistas a organizarem-se para a luta de libertação, como Paiva Domingos da Silva, Imperial Santana, Virgilho Sotto Maior, Neves Bendinha (já falecidos e outros).

Para saudar a efeméride, ao nível da província foram agendadas várias actividades culturais, recreativas e desportivas, destacando-se palestras, conferências, debates, entre outras que visam realçar a importância do 4 de Fevereiro, no paradigma político e social de Angola.

Leia também
  • 02/02/2018 15:58:08

    Angola: General Egídio Sousa reafirma prontidão das FAA

    Luanda - O Chefe de Estado-Maior General Adjunto das Forças Armadas Angolanas (FAA) para a Educação Patriótica, general Egídio Sousa e Santos, reafirmou esta sexta-feira, o contínuo prontidão na defesa da pátria, para consolidar as conquistas já alcançadas pelos angolanos e preservar a paz.

  • 02/02/2018 14:05:14

    Cuanza Sul: Governante incentiva estudos sobre sobre 4 de Fevereiro

    Sumbe - O Vice-governador do Cuanza Sul para o sector Técnico e Infraestruturas, Demétrio Sepulveda, defendeu hoje, no Sumbe, o incremento de estudos e investigações sobre o 4 de Fevereiro para que se possa enriquecer a história de Angola.

  • 02/02/2018 12:34:49

    Bissau: MPLA testemunha abertura do Congresso do PAIGC

    Bissau - O MPLA, partido no poder em Angola, testemunhou na quarta-feira, a cerimónia de abertura do IX Congresso Ordinário do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), realizado numa unidade hoteleira da cidade de Bissau.