Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

07 Fevereiro de 2018 | 16h35 - Actualizado em 07 Fevereiro de 2018 | 16h34

Repatriamento de capitais obedece a 180 dias

Luanda - O governador do Banco Nacional de Angola (BNA), José de Lima Massano, afirmou nesta quarta-feira que o Executivo angolano vai conceder 180 dias para permitir que os cidadãos nacionais repatriem os recursos financeiros ilicitamente domiciliados no exterior do país.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Governador do BNA, José de Lima Massano

Foto: Francisco Miudo

O prazo começará a contar após o documento, que foi submetido à Assembleia Nacional para aprovação, ser publicado em Diário da República.
 

José de Lima Massano, que falava à imprensa à margem da 1ª Sessão Ordinária do Conselho de Ministros, alertou que no caso dos recursos ilícitos não forem repatriados no prazo em causa as autoridades nacionais farão recurso a todos os meios à disposição.

O objectivo dessa medida é que, nos termos da lei, seja assegurado o repatriamento dos valores financeiros para o território nacional.

A proposta de lei visa permitir que os cidadãos nacionais residentes e as empresas com sede no país que tiverem recursos financeiros no exterior os repatriem de forma voluntária.

Os 180 dias, segundo o Governador do Banco Central, são aplicados ao capital que tenha saído do país sem respeitar as normas e regras vigentes.

Assuntos Angola   Executivo   Política  

Leia também