Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

28 Fevereiro de 2018 | 13h44 - Actualizado em 28 Fevereiro de 2018 | 20h08

A importância da arbitragem domina encontro em Luanda

Luanda - A importância da arbitragem na resolução de conflitos entre empresas e instituições, nacionais e ou estrangeiras foi discutida numa conferência realizada na manhã desta quarta-feira, em Luanda, com o patrocínio da embaixada britânica.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Andrew Ford, encarregado de Negócios da Embaixada do Reino Unido

Foto: Joaquina Bento

Participantes à conferência sobre arbitragem internacional

Foto: Joaquina Bento

O encontro a participação de um especialista em arbitragem internacional vindo da capital londrina, ligado a processos litigiosos entre entidades de vários continentes, bem como da assessoria jurídica de uma petrolífera que actua em Angola, há mais de 20 anos.

A porta-voz do encontro e sócia da associação de advogados FTL, Filipe Tavares de Lima, disse que foram ainda abordadas questões como as vantagens de Angola aderir a convenção de Nova Iorque sobre o reconhecimento de sentenças arbitrais estrangeiras e sobre o estado da arbitragem no país.

Adiantou que o objectivo foi juntar juristas, advogados, gestores de empresas e especialistas internacionais para a partilha de experiências e trocar impressões sobre o que poderá melhora o ambiente de arbitragem na resolução de querelas.

O encarregado de negócios da embaixada britânica, Andrew Ford, manifestou apoio ao fomento da cultura arbitral em Angola, para a resolução de conflitos sem o recurso aos tribunais.
Acredita que a consolidação do processo arbitral pode contribuir para a melhoria do ambiente de negócios para as empresas nacionais e internacionais, que operam ou que queiram investir em Angola.

O diplomata britânico considerou a criação em 2014 do centro extrajudicial de resolução de litígios (CREL) do ministério da justiça e dos direitos humanos um passo positivo nesta direcção.

Andrew Ford sublinha que a arbitragem dá igualmente o direito de escolher especialistas com conhecimentos adequados e experiência sobre a natureza da disputa, que pode estar ligada ao seguro, construção, finanças, propriedade intelectual, entre outros temas.

Aponta ainda a vantagem de o processo de arbitragem ser mantido em sigilo e de a decisão arbitral pode ser publicada e legalmente executada como uma sentença judicial.

Assuntos Internacional   Justiça  

Leia também
  • 05/02/2019 20:22:19

    Advogados divergem na "Burla Tailandesa"

    Luanda - O advogado dos réus Arsénio Manuel e André Roy, Sérgio Raimundo, no caso ?Burla Tailandesa?, acusou o seu colega de profissão Carlos Salumbongo de estar em conflito de interesses por defender os réus tailandeses e uma angolana, que se encontram em rota de colisão.

  • 01/02/2019 16:28:52

    Ex-director do INEA em prisão preventiva

    Luanda - O ex-director do Instituto de Estradas de Angola (INEA), Joaquim Sebastião, está em prisão preventiva, depois de ter sido ouvido quinta-feira (31) pelo Serviço de Investigação Criminal (SIC), em Luanda.

  • 29/01/2019 21:08:20

    Manuel Rabelais falha audição na DNIAP

    Luanda - O deputado angolano Manuel Rebelais faltou, nesta terça-feira, a um interrogatório no Departamento Nacional de Investigação e Acção Penal (DNIAP) da Procuradoria-Geral da República, onde deveria ser ouvido no âmbito de um processo movido contra si, em 2018.

  • 24/01/2019 00:17:56

    Três réus vão a interrogatório no Tribunal Supremo

    Luanda - Os réus Million Isaac Haile, Manin Wanitchanon e André Roy serão os destaques da sessão de interrogatórios desta quinta-feira do processo 001/18, conhecido por "Burla Tailandesa", que decorre seus trâmites na 1ª Câmara de Crimes do Tribunal Supremo.