Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

10 Dezembro de 2018 | 19h28 - Actualizado em 10 Dezembro de 2018 | 19h29

Corrupção produz decadência social - governador

Mbanza Kongo - O fenómeno da corrupção, em todas as suas facetas, constitui um dos pressupostos de desestruturação do tecido económico e social afirmou nesta segunda-feira, em Mbanza Kongo, o governador provincial do Zaire, Pedro Makita Armando Júlia.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Zaire: Pedro Makita Armando Júlia, Governador Provincial

Foto: Pedro Muniz Vidal

Ao discursar na cerimónia de abertura de um ciclo de palestras promovido pela Procuradoria-geral da República (PGR), em alusão ao dia internacional de combate a corrupção, Pedro Makita Júlia sublinhou que a corrupção estimula a desigualdade social, através do favorecimento de uns em detrimento de outros.

Disse que a desigualdade resultante da corrupção é um dos factores que mais impedem no aprofundamento e exercício da cidadania.

Para o governador, a luta contra corrupção deve partir da prevenção, numa acção concertada de toda a sociedade, de forma transversal, por envolver questões políticas, económicas e sociais.

Pediu ao Serviço de Investigação Criminal (SIC), enquanto órgão incumbido na investigação de acções delituosas, uma actuação articulada com a área da inspeção administrativa, autoridades de supervisão económica, fiscal, financeira e bancária para o alcance dos resultados desejados.

“A implementação de boas práticas permite a construção de uma sociedade futura saudável”, salientou.
 

Por sua vez, o Sub-Procurador-Geral da República titular no Zaire, Alexandre Chicaia, que dissertou o tema “O controlo preventivo como factor dissuasor da corrupção”, disse acreditar no alcance dos resultados positivos no combate à corrupção em Angola.

Justificou o seu optimismo, pela nova dinâmica na governação do país e a aposta séria na prevenção visando persuadir as instituições públicas.
 

O “branqueamento de capitais” foi também um dos temas dissertado durante a palestra, cuja oradora foi a procuradora da República junto do Serviço de Migração e Estrangeiros (SME), Maria Fernanda Mumba.

Participaram no evento, magistrados do ministério público, deputados à assembleia nacional, membros do governo, funcionários públicos, efectivos das Forças Armadas Angolanas(FAA), da Polícia Nacional e representantes de organizações da sociedade civil, entre outros convidados.

 

Leia também
  • 31/01/2019 18:15:02

    Antiga administradora do Songo no Uíge detida por crime de peculato

    Uíge - A antiga administradora do município do Songo, na província do Uíge, Adelina Figueiredo Alexandre Pinto, foi detida quarta-feira, nesta cidade, pela Procuradoria Geral da República (PGR), acusada na prática dos crimes de peculato e falsificação de documentos durante o seu mandato.

  • 30/01/2019 18:32:34

    SME recolhe estrangeiros em situação migratória ilegal

    Soyo - Duzentos e treze cidadãos da República Democrática do Congo (RDC), que viviam ilegalmente no município do Soyo, província do Zaire, foram recolhidos e repatriados hoje, quarta-feira, pelo Serviço de Migração e Estrangeiros (SME) na região.

  • 29/01/2019 17:16:49

    SME expulsa estrangeiros por irregularidades migratórias

    Mbanza Kongo - Cinquenta e nove cidadãos da República Democrática do Congo (RDC) foram expulsos nesta segunda-feira, pelo Serviço de Migração e Estrangeiros (SME) na província do Zaire, por entrada ilegal no território nacional.

  • 23/01/2019 11:00:44

    Polícia detém 289 violadores de fronteira

    Mbanza Kongo - A Polícia de Guarda Fronteira (PGF) na província do Zaire deteve, nos últimos sete dias, 289 cidadãos da República Democrática do Congo (RDC) por tentativa de violação do perímetro fronteiriço que separa esta parcela do território nacional da região do Congo Central.