Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

13 Março de 2018 | 21h06 - Actualizado em 13 Março de 2018 | 21h06

OAA quer maior envolvimento para justiça eficaz

Luanda - O bastonário da Ordem dos Advogados de Angola (OAA), Luís Marques, defendeu nesta terça-feira, em Luanda, um maior engajamento de todos os sectores intervenientes na administração da justiça para que esta possa ser mais eficaz.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Luís Paulo Marques, Bastonário da Ordem dos Advogados de Angola

Foto: joaquina Bento

Luís Marques fez este pronunciamento na abertura do Ano Judicial 2018, cuja cerimónia foi orientada pelo Chefe de Estado angolano, João Lourenço, e que decorreu sob o lema “Pela dignificação do poder judicial e por uma justiça independente, imparcial e célere”.

O bastonário disse ainda que “é possível fazermos muito mais e temos plena convicção de que havendo maior intervenção do Estado na justiça, aliada ao engajamento dos magistrados judiciais e do ministério público, dos advogados, dos funcionários judiciais, bem como das polícias, a justiça chegará a todos de modo eficaz”.

Reconheceu a falta de meios humanos e técnicos nas instituições de justiça.

“Não tenhamos dúvidas que o verdadeiro critério de aferição da existência de um estado de direito está na forma como, em cada estado, é concretizado o direito processual penal. Trabalhar dentro dos prazos legais deve ser a bússola dos magistrados”, referiu.

Nesse contexto, recomendou que os abusos de poder praticados por magistrados e policiais, contra a liberdade individual, passam a ser de responsabilidade disciplinar, civil e criminal.

Disse que uma das metas da OAA para o ano judicial de 2018, havendo o apoio financeiro do Estado, é alcançar as seis províncias que ainda estão desprovidas da assistência judicial para os cidadãos.

Garantiu que a ordem tudo fará para contribuir para a boa administração da justiça, dai que a sua atenção continuará virada para a melhoria da qualidade da advocacia, bem como a formação contínua dos advogados.

Assuntos Justiça  

Leia também
  • 05/02/2019 20:22:19

    Advogados divergem na "Burla Tailandesa"

    Luanda - O advogado dos réus Arsénio Manuel e André Roy no Caso Burla Tailandesa, Sérgio Raimundo, acusou o colega de profissão Carlos Salumbongo de estar em conflito de interesses, por defender os réus tailandeses e uma angolana, que se encontram em rota de colisão.

  • 01/02/2019 16:28:52

    Ex-director do INEA em prisão preventiva

    Luanda - O ex-director do Instituto de Estradas de Angola (INEA), Joaquim Sebastião, está em prisão preventiva, depois de ter sido ouvido quinta-feira (31) pelo Serviço de Investigação Criminal (SIC), em Luanda.

  • 29/01/2019 21:08:20

    Manuel Rabelais falha audição na DNIAP

    Luanda - O deputado angolano Manuel Rebelais faltou, nesta terça-feira, a um interrogatório no Departamento Nacional de Investigação e Acção Penal (DNIAP) da Procuradoria-Geral da República, onde deveria ser ouvido no âmbito de um processo movido contra si, em 2018.

  • 24/01/2019 00:17:56

    Três réus vão a interrogatório no Tribunal Supremo

    Luanda - Os réus Million Isaac Haile, Manin Wanitchanon e André Roy serão os destaques da sessão de interrogatórios desta quinta-feira do processo 001/18, conhecido por "Burla Tailandesa", que decorre seus trâmites na 1ª Câmara de Crimes do Tribunal Supremo.