Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

14 Março de 2018 | 17h22 - Actualizado em 14 Março de 2018 | 17h21

Preservação dos valores éticos e cívicos contribui para defesa da soberania

Luanda - A determinação de um povo na defesa da sua soberania exige uma preparação nas diversas vertentes, incluindo pedagógica, psicológica, moral, patriótica e militar, de modo a cultivar os valores éticos e cívicos, afirmou nesta quarta-feira, em Luanda, o general Daniel Salvador Catata.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Abertura do ano pedagógico no Instituto de Defesa Nacional

Foto: Rosário dos Santos

General Daniel Salvador Catata

Foto: Rosário dos Santos

O conselheiro do Comandante do Exército discursou na abertura do ano pedagógico do Instituto de Defesa Nacional (IDN), dirigido aos funcionários públicos, licenciados e estudantes universitários.

Para Daniel Catata, os cidadãos têm de entender as causas que lhes leva a defender e preservar a sua pátria.

Considera a formação como uma componente essencial para a cidadania, elemento essencial para o desenvolvimento de Angola e do seu povo.

Neste sentido, o oficial superior considerou necessário a criação de metodologias de divulgação de informação, espaço de reflexão e debate sobre a problemática da segurança e da defesa nacional, de modo a despertar o interesse de todo cidadão angolano que deve sentir-se acima de tudo um patriota.

“Desta maneira, estaremos a preparar bons cidadãos para servir condignamente a pátria”, disse o responsável, para quem a produção dos conhecimentos realiza-se por regras, métodos pedagógicos e contactos actualizados da realidade nacional e internacional.

Por esta razão, advogou que a formação visa a mudança dos perfis de conduta, primando sempre para as mais positivas, aquelas que estão de acordo com os princípios imutáveis.

Na sua intervenção, disse ainda que o início do ano pedagógico representa para o IDN a melhoria da sua planificação pedagógica, com a produção de novas metodologias de formação, de modo a atingir bons resultados para o ano de 2018.

Por isso, apelou à direcção do IDN para continuar a árdua tarefa de divulgação da política nacional, com maior destaque aos aspectos de defesa e segurança.

Na ocasião, o director do Instituto de Defesa Nacional, José Lima, informou que a formação terá a duração de um ano, com fundamentos da política de defesa nacional, tais como curso de auditores de defesa, jornadas de defesa, colóquio, mesa redonda, conferência, seminários, entre outras iniciativas.

O IDN é um órgão tutelado pelo Ministério da Defesa Nacional, destinado ao estudo, investigação, ensino e divulgação das questões de defesa nacional.

Assuntos Defesa  

Leia também
  • 12/09/2018 12:20:13

    Comandante das FAA considera estável situação na fronteira Angola/Namíbia

    Lubango - A situação na fronteira entre Angola e Namíbia, no domínio da defesa, é calma e estável, segundo o chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas Angolanas (CEMG/FAA), Egídio de Sousa Santos "Disciplina".

  • 08/09/2018 09:49:13

    Comissão Mista de Defesa e Segurança Angola/Namíbia reúne-se no Lubango

    Lubango - A 20ª Reunião da Comissão Mista de Defesa e Segurança Angola/Namíbia, a decorrer de 10 a 13 do mês em curso, na cidade do Lubango, província da Huíla, vai prespectivar acções subsequentes de interesse bilateral, nos domínios da defesa e segurança entre os dois países.

  • 11/06/2018 17:06:46

    Sérvia quer formar cadetes angolanos

    Luanda - Vinte e cinco cadetes das Forças Armadas Angolanas (FAA) poderão ser formados nas áreas militares e de medicina na República da Sérvia, em 2019, no quadro da cooperação existente entre os ministérios da Defesa de Angola e daquele país do sudeste europeu.

  • 25/05/2018 21:31:27

    Angola e Namíbia recomendam dinamismo nas acções de segurança

    Ondjiva - Delegações de Angola e da Namíbia recomendaram maior dinamismo na cooperação entre os órgãos de defesa e segurança dos respectivos países, para a melhoria da segurança na fronteira.