Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

16 Abril de 2018 | 15h55 - Actualizado em 16 Abril de 2018 | 17h03

Julgamento de Rafael Marques retoma dia 24 de Abril na PGR

Luanda - A segunda sessão de julgamento do activista angolano Rafael Marques e do jornalista Mariano Brás, acusados de "injúrias e ultraje a órgão de soberania", foi remarcada para a terça-feira, 24 de Abril, na sede da Procuradoria-Geral da República (PGR).

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Rafael Marques, Activista Político

Foto: Alberto Juliao

Julgamento do activista político Rafael Marques (à esq) e do jornalista Mariano Brás

Foto: Alberto Juliao

As autoridades judiciais justificam a realização da próxima audição na PGR, que deverá contar com a presença do ofendido (João Maria de Sousa), pelo facto deste ser magistrado jubilado e a Lei lhe conferir imunidades. As secções subsequentes deverão retomar no Tribunal Provincial de Luanda.

A primeira audição dos dois acusados aconteceu a 19 de Março último, sem a presença do queixoso, nem do seu advogado.

Rafael Marques comparece ao julgamento devido a um artigo publicado em Outubro de 2016, no portal Maka Angola, em que levanta suspeitas de corrupção contra o então procurador-geral da República (PGR), João Maria de Sousa.

No artigo, o activista denuncia um negócio alegadamente ilícito, realizado pelo antigo PGR de Angola, envolvendo um terreno de três hectares, em Porto Amboim, província do Cuanza Sul, supostamente para a construção de um condomínio residencial.

O processo envolve ainda um outro jornalista angolano, Mariano Brás, por ter publicado o mesmo artigo no seu jornal, "O Crime".

Salvador Freire, advogado de Mariano Brás, declarou nesta segunda-feira, à imprensa, estar convicto de que os réus serão absolvidos neste processo. “Esse é o nosso entendimento e faremos tudo para que isso aconteça”.

Já o activista e jornalista Rafael Marques disse não entender o porque da próxima audição se realizar exactamente na sede do Ministério Público que promove a acusação.   

Aferiu que isso é um facto que denota estranheza deste processo, porquanto a audiência será realizada na sede do Ministério Público que promove a acusação.

Entende que “tudo isso tem como objectivo impedir que as pessoas estejam presentes quando o senhor general João Maria fizer o seu depoimento. É isto que conspurca o zelo e a probidade das instituições do Estado. Não faz sentido nenhum”.

Para si, as imunidades do antigo procurador-geral da República não devem sobrepor-se ao dever de isenção que a justiça merece. “É essa a privatização das instituições do Estado que temos que combater”.

Assuntos Julgamento  

Leia também
  • 01/02/2019 17:32:46

    Empresária Celeste de Brito mentiu em Tribunal - Fonte próxima do processo

    Luanda - A empresária Celeste de Brito, um dos nomes de relevo do mediático processo "Mega Burla Tailandesa", terá mentido aos juízes no dia em que começou a ser ouvida no Tribunal Supremo, quando afirmou ter mantido dois encontros com o Vice-Presidente da República, Bornito de Sousa.

  • 31/01/2019 18:42:37

    Celeste de Brito rejeita suposto suborno a Norbeto Garcia

    Luanda - A ré Celeste de Brito, arrolada no caso "Burla Tailandesa", rejeitou acusações de ter subornado o co-réu Norbeto Garcia, ex-director da Unidade Técnica de Investimento Privado (UTIP), para auxiliar à entrada ao país de supostos investidores tailandeses.

  • 24/01/2019 20:32:42

    Contradições marcam 5º dia do caso "Burla Tailandesa"

    Luanda - O réu Manin Wanitchanon, em audiência no 5º dia de julgamento da "Burla Tailandesa", disse que o cheque de USD 50 mil milhões pertence ao ex- presidente filipino, Ferdinand Marcos, contrariando as declarações do co-réu Raveeroj Ritchoteanan, que assume a titularidade dos valores.

  • 23/01/2019 19:54:19

    Burocracia dita transportação do cheque de USD 50 mil milhões em mão

    Luanda - A co-ré do designado processo "Burla Tailandesa" Monthita Pribwai referiu, esta quarta-feira, que ela e o co-réu Raveeroj Ritchoteanan decidiram transportar o cheque de USD 50 mil milhões em mão devido a questões burocráticas.