Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

16 Abril de 2018 | 12h16 - Actualizado em 17 Abril de 2018 | 10h57

Recomendada concertação no combate ao crime organizado

Luanda - A secretária de Estado para os Direitos Humanos e Cidadania, Ana Celeste Januário, apelou nesta segunda-feira, em Luanda, uma acção colectiva para a erradicação do tráfico de pessoas e da criminalidade organizada.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Ana Celeste Januário discursava na abertura do Workshop sobre Tráfico de Pessoas, Crianças não acompanhadas e Migrantes, co-organizado com o Escritório Regional da África Austral da Organização Internacional para as Migrações (OIM).

Declarou que Angola implementa uma política governativa que visa garantir a dignidade e liberdade dos seres humanos e dirigida a extirpar o tráfico de pessoa e as novas formas de escravidão, como o trabalho forçado, a prostituição e o tráfico de órgãos, que são verdadeiros crimes contra a humanidade.

Entre os esforços do Executivo, a secretária de Estado destacou a aprovação em 2014 da Lei sobre a criminalização das Infracções subjacentes ao Branqueamento de Capitais e que contém norma sobre o tráfico de seres humanos, e a criação da Comissão Interministerial de Combate ao Tráfico de Seres Humanos.

Referiu que a comissão tem a missão de, mediante programas abrangentes e integrados, prevenir e reprimir o tráfico de pessoas.

O representante do sistema das Nações Unidas em Angola, Paolo Balladelli, reconheceu os esforços angolanos no combate ao tráfico de pessoas.

Apelou a harmonização da legislação entre os diferentes Estados, para um combate eficaz a este mal que, como disse, envolve muitas pessoas e vários países.

O embaixador do Reino dos Países Baixos, Willen Aalmans, defendeu a promoção do desenvolvimento sustentável das nações africanas para evitar a migração por razões meramente económicas.

Manifestou-se a favor da solidariedade entre os povos, principalmente em fases de conflitos, ao mesmo tempo que critica a morte de cidadãos em tentativas de travessias perigosas, como a do mar Mediterrâneo, a procura de melhor situação económica.

Assuntos Justiça   Workshop  

Leia também
  • 03/11/2018 18:21:27

    PGR anuncia resolução do caso do investidor americano

    Luanda - A Procuradoria Geral da República (PGR) anunciou, em comunicado, a resolução do caso do investidor norte-americano que havia sido expropriado do seu património pelo general António Francisco Andrade.

  • 26/10/2018 18:33:47

    Angola passa a ter 60 tribunais de 1ª instância

    Luanda - O país passará a ter 60 tribunais de 1ª instância, contra os actuais 19, no quadro da Reforma da Organização do Sistema Judicial, anunciou esta sexta-feira, em Luanda, o juiz conselheiro do Tribunal Supremo, Raúl Araújo.

  • 19/10/2018 17:35:00

    PGR realça reforma no sector da justiça

    Luanda - O Procurador-geral da República, Hélder Pitta Grós, considerou, nesta sexta-feira, em Luanda, que o sector da justiça está a viver um momento de transcendente importância, com a materialização da reforma desse ramo em curso no país.

  • 16/10/2018 19:55:34

    Declarantes contrariam antigo director do SIC na Huíla

    Lubango - A primeira sessão de julgamento do antigo director do Serviço de Investigação Criminal (SIC) na Huíla, Amadeu Suana, ficou marcada por contradições entre este e os dois declarantes, tendo o primeiro negado o seu envolvimento na venda dos 14 mil litros de gasóleo apreendidos, em 2016, e os declarantes confirmado a sua participação no crime.