Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

26 Abril de 2018 | 10h54 - Actualizado em 26 Abril de 2018 | 10h53

PGR investiga crimes de peculato envolvendo gestores públicos no Moxico

Luena - A Procuradoria-Geral da República (PGR) no Moxico está a investigar vários casos de peculato e corrupção passiva envolvendo gestores e titulares de cargos públicos na província do Moxico, que serão encaminhados ao Tribunal Provincial dentro de dias.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Moxico: Procurador José Buanga, prelector de uma palestra sobre branqueamento de capitais

Foto: David Dias

Moxico: Procuradoe da República , Pedro Domingo

Foto: kinda kyungu

A revelação é do Procurador da República, Pedro Domingos, feita hoje, no Luena, durante uma palestra sobre “O combate a corrupção, branqueamento de capitais e impunidade”, no quadro da semana da legalidade, decorrida no Instituto Superior Politécnico Privado Walinga do Moxico.

“Temos muitos casos de género (peculato e corrupção passiva), posteriormente chagarão ao tribunal para um julgamento público”, reafirmou, em declarações à imprensa, precisando que alguns processos encontram-se já em tribunal e outros em fase de instrução preparatória.

O magistrado do Ministério Público escusou-se a avançar nomes e especificidades dos crimes, reafirmando a luta pela corrupção e a impunidade.

Já o palestrante e igualmente procurador junto do comando municipal do Moxico da Polícia Nacional, José Buanga, apontou que a única forma de acabar com a corrupção e branqueamento de capitais é lutar contra a impunidade, e a população deve cultivar o acto de denúncias.

Explicou que o crime de branqueamento de capitais pressupõe três fases, sendo a primeira que consiste na recepção de valores ilícitos que ocorre quando um agente da função pública, dirigente, político ou titular de cargo publico, recebe dinheiro em devido para beneficiar alguém, dissimulando a licitudes de valores.

A segunda, explicou, é a fase da ocultação, onde a pessoa que se beneficia de acto de corrupção oculta por via de depósito na conta de uma terceira pessoa.

Enquanto que a terceira e última etapa do crime engloba a integração no circuito financeiro o dinheiro que, por sua vez, inicialmente, entra de forma ilícita e dissimulado na compra de um bem imóvel, depois o mesmo imóvel será vendido para uma outra pessoa e o dinheiro é revertido e injectado no mercado financeiro como se fosse licito.

Durante a semana da legalidade a PGR no Moxico tem ainda agendada palestras sobre o “combate a corrupção e a impunidade” e o “procedimento para o combate a impunidade”.

Leia também
  • 05/02/2019 05:43:18

    Pinda Simão enaltece sacrifício dos nacionalistas

    Uíge - O governador provincial do Uíge, Pinda Simão, enalteceu o empenho dos heróis de 04 de Fevereiro, que deram à sua vida e consentiram sacrifícios para o alcance da independência nacional.

  • 05/02/2019 00:46:39

    Município de Camacupa ganha novas infraestruturas sociais

    Camacupa - A população do município de Camacupa, província do Bié, ganhou novas infra-estruturas sociais, inauguradas segunda-feira no quadro das celebrações do Dia do início da Luta Armada.

  • 04/02/2019 16:37:21

    Inauguração de vários empreendimentos marca 53º aniversário do início da Luta Armada

    Camanongue - A inauguração de um Jango para os antigos combatentes e veteranos da pátria e do Centro Infantil Comunitário (CIC), hoje, segunda - feira, na sede municipal de Camanongue, pelo governador provincial do Moxico, Gonçalves Muandumba, marcou as comemorações do 53º aniversário do início da luta armada em Angola.

  • 04/02/2019 14:06:33

    Ministro pede união aos angolanos

    Cabinda - O ministro da Administração do Território e Reforma do Estado, Adão de Almeida, pediu nesta segunda-feira, em Cabinda, que os angolanos tenham união e força para vencer os desafios, seguindo o exemplo, a bravura e determinação dos heróis do 4 de Fevereiro de 1961.