Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

26 Maio de 2018 | 14h07 - Actualizado em 26 Maio de 2018 | 14h03

Instabilidade política obstaculiza desenvolvimento de África

Mbanza Kongo - Os conflitos de matriz étnica, fundamentalmente, que grassam ainda alguns países africanos foram apontados neste sábado, em Mbanza Kongo, província do Zaire, como entraves ao desenvolvimento do continente.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Em declarações à Angop, à margem da palestra que abordou a vida e obra de Nelson Mandela, enquadrada nas celebrações do Dia de África, 25 de Maio, alguns munícipes de Mbanza Kongo convergiram que a ausência da paz e da reconciliação entre os cidadãos dos países em conflito empobrece ainda mais os habitantes do continente berço da humanidade.

Para o padre Horácio Nkenge, sem paz não há desenvolvimento possível, insistindo na necessidade de um pacto entre os líderes africanos das zonas em conflito, conducente a um clima que permita a participação dos seus cidadãos na criação de bases para o progresso social.

O prelado católico apontou o exemplo de Nelson Mandela, combatente anti-Apartheid e ex-presidente da África do Sul, que soube unir o seu povo que andou dividido por questões raciais, apesar de ter sido vítima e preso durante 27 anos por este mesmo sistema.

“Os actuais líderes africanos devem inspirar-se no exemplo de Nelson Mandela, que conduziu a luta pacífica para a erradicação do regime segregacionista na África do Sul e soube perdoar os seus opressores”, sublinhou.

Na sua opinião, o povo africano deve ultrapassar, com urgência, as suas desavenças e tentar unir-se para o bem comum que tem a ver com o desenvolvimento económico e social dos respectivos países.

Por sua vez, Necumbuleno Lufialuiso, activista social, defendeu, igualmente, a unidade e coesão do povo africano, inspirando-se também nos ideais das grandes figuras como Kwame Nkrumah, nacionalista ganês,  Patrice Lumumba, do Congo Leopoldoville, actual RDC,  Jomo Kenyatta, do Quénia, entre outros panafricanistas.

Na opinião de Nenkia Wete Mpaku, também participante na palestra, entende que a identidade cultural africana é uma arma para que o seu povo possa afirmar-se no cenário mundial.

 

Leia também
  • 02/02/2019 16:50:15

    Sobreviventes exigem reposição da placa roubada no marco histórico

    Cazenga - Os sobreviventes do " 4 de Fevereiro de 1961" exigem a reposição da placa de bronze, com os nomes dos nacionalistas participantes no ataque as cadeias coloniais, roubada no ano passado no marco histórico construído, no município do Cazenga (Luanda), em sua homenagem.

  • 30/01/2019 18:32:34

    SME recolhe estrangeiros em situação migratória ilegal

    Soyo - Duzentos e treze cidadãos da República Democrática do Congo (RDC), que viviam ilegalmente no município do Soyo, província do Zaire, foram recolhidos e repatriados hoje, quarta-feira, pelo Serviço de Migração e Estrangeiros (SME) na região.

  • 29/01/2019 17:16:49

    SME expulsa estrangeiros por irregularidades migratórias

    Mbanza Kongo - Cinquenta e nove cidadãos da República Democrática do Congo (RDC) foram expulsos nesta segunda-feira, pelo Serviço de Migração e Estrangeiros (SME) na província do Zaire, por entrada ilegal no território nacional.

  • 23/01/2019 11:00:44

    Polícia detém 289 violadores de fronteira

    Mbanza Kongo - A Polícia de Guarda Fronteira (PGF) na província do Zaire deteve, nos últimos sete dias, 289 cidadãos da República Democrática do Congo (RDC) por tentativa de violação do perímetro fronteiriço que separa esta parcela do território nacional da região do Congo Central.