Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

17 Julho de 2018 | 17h01 - Actualizado em 17 Julho de 2018 | 17h01

Assinala-se quarta-feira o Dia Internacional de Nelson Mandela

Luanda - Assinala-se quarta-feira, 18 de Julho, o Dia Internacional Nelson Mandela, instituído em Novembro de 2009 pela Assembleia-Geral da ONU, devido à contribuição do ex-presidente sul-africano para a cultura da paz e da liberdade.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Nelson Mandela, primeiro presidente negro da África do Sul

Foto: Afp

Por consenso dos 192 países membros, a ONU determinou que, a partir de 2010, seria  celebrado o Dia Internacional de Nelson Mandela, na data do aniversário do dirigente negro que, em 1993, partilhou o Prémio Nobel da Paz com o seu compatriota sul-africano Frederik de Klerk.
 

A Assembleia-Geral decidiu assim reconhecer, o primeiro da organização a um indivíduo, a contribuição fundamental de Mandela, nascido a 18 de Julho de 1918 na pequena vila de Mvezo, para a resolução dos conflitos, a liberdade no mundo e a promoção das boas relações entre todos os grupos étnicos.
 

Reconheceu também a dedicação de Mandela ao serviço da humanidade na resolução de conflitos, relações entre raças, promoção e protecção dos direitos humanos, reconciliação, igualdade entre os sexos e os direitos das crianças e de outros grupos vulneráveis.
 

Nelson Rolihlahla Mandela nasceu no dia 18 de Julho de 1918 na cidade de Transkei, é filho de Henry Mgadla Mandela e Noseki Fanny. Coordenou, em 1961, uma campanha de sabotagem contra alvos militares e do governo e viajou para a Argélia para treinamento paramilitar.

 
Em Agosto de 1962, Nelson Mandela foi preso após informações da CIA à polícia sul-africana, sendo sentenciado a cinco anos de prisão por viajar ilegalmente ao exterior e incentivar greves.
 

Em 1964 foi condenado a prisão perpétua por sabotagem (o que Mandela admitiu) e por conspirar para ajudar outros países a invadir a África do Sul (o que Mandela nega).
 

No decorrer dos 27 anos que ficou preso, Mandela se tornou de tal modo associado à oposição ao apartheid que o clamor "Libertem Nelson Mandela" se tornou o lema das campanhas anti-apartheid em vários países.
 

Durante os anos 70, ele recusou uma revisão da pena e, em 1985, não aceitou a liberdade condicional em troca de não incentivar a luta armada.


Mandela continuou na prisão até Fevereiro de 1990, quando a campanha do ANC e a pressão internacional conseguiram que ele fosse libertado em 11 de Fevereiro, aos 72 anos, por ordem do presidente Frederik Willem de Klerk.
 

Nelson Mandela e Frederik de Klerk dividiram o Prémio Nobel da paz em 1993.
 

No mesmo ano se candidatou a presidente da África do Sul e foi eleito, exercendo o cargo de 1994 a 1999.
 

Como presidente do ANC (de Julho de 1991 a Dezembro de 1997) e primeiro presidente negro da África do Sul (de Maio de 1994 a Junho de 1999), Mandela comandou a transição do regime de minoria no comando, o apartheid, ganhando respeito internacional por sua luta em prol da reconciliação interna e externa.
 

Após o fim do mandato de presidente, Mandela recebeu muitas distinções no exterior, incluindo a Ordem de St. John, da rainha Elizabeth 2ª, a medalha presidencial da Liberdade, de George W. Bush, o Bharat Ratna (a distinção mais alta da Índia) e a Ordem do Canadá.
 

Nelson Mandela recebeu o Prémio Príncipe das Astúrias à cooperação internacional (1992), Ordem ao mérito do Reino Unido (1995), Prémio Lenin da Paz (1962), Prémio Internacional Simón Bolívar (1983) e Prémio Nacional da Paz (1995)
 

Em 2003, Mandela fez alguns pronunciamentos, atacando a política externa do presidente norte-americano Bush. Ao mesmo tempo, ele anunciou seu apoio à campanha de arrecadação de fundos contra a AIDS chamada "46664" - seu número na época em que esteve na prisão.
 

Em Junho de 2004, aos 85 anos, Mandela anunciou a sua retirada da vida pública e, no dia 5 de Dezembro de 2013, faleceu, em Joanesburgo, por doença.

Assuntos Efeméride  

Leia também
  • 02/02/2019 16:50:15

    Sobreviventes exigem reposição da placa roubada no marco histórico

    Cazenga - Os sobreviventes do " 4 de Fevereiro de 1961" exigem a reposição da placa de bronze, com os nomes dos nacionalistas participantes no ataque as cadeias coloniais, roubada no ano passado no marco histórico construído, no município do Cazenga (Luanda), em sua homenagem.

  • 22/01/2019 07:23:57

    Minint felicita FAN pelo 43º aniversário

    Luanda - O Ministério do Interior (Minint) felicitou hoje, terça-feira, em Luanda, a Força Aérea Nacional Angolana (FAN), por ocasião do seu 43º aniversário, assinalado dia 21 deste mês.

  • 04/01/2019 15:27:11

    Angola recorda massacre da Baixa de Cassange

    Luanda - Angola recorda hoje o massacre da Baixa de Cassange, um acontecimento que, há 58 anos, dizimou milhares de vidas de angolanos e marcou o início da contestação à ocupação colonial e à exploração dos naturais, sobretudo o desrespeito aos padrões básicos da vida humana.

  • 13/11/2018 21:46:44

    Discurso do Ministro de Estado do Desenvolvimento Económico Social

    ONDJIVA - DISCURSO DO MINISTRO DE ESTADO E DO DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO E SOCIAL, MANUEL NUNES JÚNIOR, PRONUNCIADO EM ONDJIVA, CUNENE, A 11 DE NOVEMBRO DE 2018, NO ACTO CENTRAL DAS COMEMORAÇÕES DO 43º ANIVERSÁRIO DA INDEPENDÊNCIA DE ANGOLA