Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

10 Agosto de 2018 | 19h27 - Actualizado em 10 Agosto de 2018 | 19h37

MDC interpõe recurso e adia investidura do PR do Zimbabwe

Harare (Dos enviados especiais) - Ao interpor recurso de contencioso eleitoral ao Tribunal Constitucional, a aliança MDC forçou o adiamento da cerimónia de investidura do Presidente eleito do Zimbabwe, Emmerson Mnangagwa, marcada para domingo, dia 12.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Vista parcial da cidade de Harare

Foto: Gaspar dos Santos

A Angop soube de fonte diplomática, em Harare, que com este requerimento apresentado ao final da tarde desta sexta-feira, último dia legalmente aceitável, a oposição tenta reverter a vitória do Presidente eleito.

O advogado do líder da MDC, Thabani Mpofu, afirmou quarta-feira, à imprensa, que a coligação tinha uma "arma secreta" para levar o desafio a tribunal.

Avançou que o líder da aliança MDC, Nelson Chamisa, está convencido de que venceu Mnangagwa de forma limpa na pesquisa e que os resultados anunciados pela Comissão Eleitoral são “falsos”.

De acordo com a Constituição, os partidos concorrentes têm sete dias após a divulgação dos resultados para contestá-los e no nono dia, caso não haja contestação judicial, terá então lugar a cerimónia de tomada de posse.

A lei da República do Zimbabwe diz também que, depois que o recurso dê entrada, os tribunais têm 14 dias para analisar a questão e tomar a sua decisão.

O Tribunal vai decidir e após sentença, se confirmar a vitória de Mnangagwa, a cerimónia de tomada de posse deve acontecer em 48 horas, se não confirmar, pode anular os resultados, e no caso, o país parte para novas eleições dentro de 60 dias.
A decisão do Tribunal sobre o assunto é final.

Esta reviravolta judicial implica uma mudança de planos para o partido Zanu-PF, na medida em que oficialmente já se preparava para a investidura, tendo inclusive alguns chefes de Estado confirmado a sua presença em Harare.

Assuntos Eleições   Zimbabwe  

Leia também
  • 25/10/2018 23:32:43

    Angola concorre para "ACABQ"

    Luanda - Angola é um dos seis países que concorre para o comité consultivo para as questões administrativas e orçamentais das Nações Unidas (Acabq-sigla em inglês) para o período 2019 a 2021.

  • 25/10/2018 13:33:17

    Candidata à liderança da Jura apela à unidade

    Lubango - A candidata à liderança da Jura (organização juvenil da UNITA), Dulce Pataco, apelou à unidade e ao espírito de grupo, para suplantar ao que chamou de "degradação da unidade" nessa estrutura partidária.

  • 12/10/2018 20:09:03

    CNE incinera materiais usados nas eleições gerais

    Luanda - A Comissão Nacional Eleitoral (CNE) iniciou nesta sexta-feira a destruição de boletins de votos e de materiais utilizados nas eleições gerais de 23 de Agosto de 2017, vencidas pelo MPLA e o seu candidato, João Lourenço.

  • 03/10/2018 02:15:44

    Huíla: Autarquias devem traduzir bem-estar para população

    Lubango - As autarquias locais devem ser encaradas como uma ferramenta de participação da sociedade, para a construção de processos democráticos, considerou, terça-feira, no Lubango, a vice-governadora da Huíla para o sector, Político, Económico e Social, Maria João Chipalavela.