Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

14 Setembro de 2018 | 19h25 - Actualizado em 14 Setembro de 2018 | 20h24

Cinco cônsules exonerados por má gestão

Luanda - Cinco cônsules foram exonerados por irregularidades e indícios de má gestão de recursos financeiros e outros comportamentos contrários à ética e disciplina laboral, soube a Angop, em Luanda.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Edifício do MIREX

Foto: Clemente Santos

Em comunicado de imprensa divulgado hoje, o Ministério das Relações Exteriores esclarece que as exonerações resultam de várias visitas da Inspecção Geral Diplomática e Consular, realizadas nos consulados.

O mesmo documento acrescenta que os actos apurados serão remetidos à Procuradoria-Geral da República, para averiguar a existência ou não de matéria criminal e agir em conformidade.

Foram exonerados Fernando Carlos Camuamba, da função de cônsul-geral do Posto Consular em Dolisie (República do Congo), Rosário Gustavo Ferreira de Ceitas, do Posto Consular do Rio de Janeiro (Brasil), Francisco Correia Massaca, do Posto Consular de Oshakati (Namíbia), Gilberto Pinto Chikoti, do Posto Consular do Rundu (Namíbia) e Sebastião Fernandes Quixito, do Posto Consular em Lubumbashi/Katanga (República Democrática do Congo).

O ministro das Relações Exteriores, Manuel Augusto, deu por finda a comissão ordinária de serviço de Custódio dos Santos, como adido financeiro no Posto Consular em Dolisie (República do Congo).

Noutros despachos e no quadro do plano de rotação, terminaram a comissão ordinária de serviço Joaquim Augusto Belo Mangueira, do Posto Consular em São Paulo (Brasil), Vicência Ferreira Morais de Brito (do Posto Consular em Londres - Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte), Adão Pinto (do Posto Consular em Nova Iorque - Estados Unidos da América), Clemente Pedro Francisco Camenha (do Posto Consular em Roterdão, Reino dos Países Baixos - Holanda).

Terminaram também as comissões de serviço de Manuel Adão Domingos, do Posto Consular de Frankfurt (República Federal da Alemanha), Domingos Mazala Ricardo, do Posto Consular do Mongu (República da Zâmbia), João Soares Bartolomeu, do Posto Consular de Matadi (República Democrática do Congo), Júlio Belarmino Gomes Maiato, do Posto Consular do Dubai (Emirados Árabes Unidos) e Balduíno Francisco da Silva Bwanga, do Posto Consular de Durban (África do Sul).

A propósito, o Presidente da República, João Lourenço, tem reafirmado que a corrupção, o nepotismo, a bajulação e a impunidade são os principais males a combater pelos "muitos" danos que causam à economia.

Leia também
  • 05/11/2018 20:13:47

    Manuel Augusto prepara visita do Chefe de Estado a Moçambique

    Luanda - O ministro das Relações Exteriores, Manuel Augusto, trabalhou durante três dias em Moçambique para, entre outros, reforçar os laços de cooperação nos vários domínios e preparar a visita de Estado do Presidente da República, João Lourenço.

  • 05/11/2018 19:02:50

    Embaixador Rui Orlando Xavier apresenta cartas figuradas

    Luanda - O embaixador Extraordinário e Plenipotenciário da República de Angola, Rui Orlando Xavier, entregou nesta segunda-feira, em Tóquio, no Japão, as Cartas Figuradas ao vice-ministro dos Negócios Estrangeiros daquele país, Takeo Akiba.

  • 02/11/2018 17:58:03

    Angolano integra comité da ONU para questões orçamentais

    Nova Iorque - A Assembleia Geral das Nações Unidas elegeu, esta sexta-feira, em Nova Iorque, o diplomata angolano Makiese Kinkela Augusto para integrar o Comité Consultivo para as Questões Administrativas e Orçamentais (CCQAB ou ACABQ) para o período 2019-2021.

  • 26/10/2018 22:01:20

    Empresários belgas querem diamantes angolano - Chikoty

    Bruxelas (Dos enviados especiais) - Empresários belgas têm manifestado interesse na compra do diamante angolano, facto que obriga o país a investir no aumento da produção desse mineral, afirmou nesta sexta-feira em Bruxelas o embaixador de Angola nesse pais europeu, Georges Chikoty.