Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

11 Outubro de 2018 | 16h17 - Actualizado em 11 Outubro de 2018 | 16h16

Financiamento chinês será mais-valia para Angola

Luanda - O analista político Francisco Sachitota considerou nesta quinta-feira, em Luanda, uma mais-valia para Angola o novo financiamento da China, porquanto permitirá a implementação de projectos de impacto económico e social.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Francisco Sachitota - Analista Político

Foto: Cedida

O referido financiamento vai concorrer para potencializar a produção nacional, numa altura em que Angola aposta na diversificação da economia, segundo o analista.

No período de 9 a 10 do corrente mês, o Presidente da República, João Lourenço, efectuou uma visita de Estado à República Popular da China, a convite do seu homólogo chinês, Xi Jinping.

Durante a sua estada, as repúblicas de Angola e Popular da China rubricaram um acordo de facilitação que prevê um financiamento, do Banco de Desenvolvimento Chinês, avaliado em dois mil milhões de dólares.

Sobre o assunto, o analista político afirmou que a implementação de projectos de impacto económico e social propiciará o êxito do Programa de Apoio a Produção, Diversificação das Exportações e Substituições das Importações (PRODESI), levado a cabo pelo Executivo.

A potencialização da produção nacional também joga um papel fundamental neste processo, com a finalidade de melhorar as condições de vida dos angolanos e contribuir para o desenvolvimento do país.

Por isso, Francisco Sachitota recomendou maior rigor na implementação de projectos de curto e médio prazos, para a obtenção de benefícios duradouros.

Na terça-feira (dia 9), a propósito do novo financiamento chinês, o Presidente João Lourenço  disse ao primeiro-ministro da China, Li Keqiang, que já foram identificados alguns projectos prioritários, para os quais pede a afectação de receitas do país asiático.

Entre esses projectos constam a segunda fase do Centro Integrado de Segurança Pública, do novo Centro de Convenções e Hotel, Sistema de Abastecimento de Águas de Luanda, Aproveitamento Hidroeléctrico do Zenzo, Ligação de média e alta tensão do Huambo, Huíla e Namibe.

Estão também nas prioridades a requalificação do troço ferroviário do Zenza-Cacuso, a ligação ferroviária Luacano-Jimbe, para ligar o Caminho-de-Ferro de Benguela à Zâmbia, programa de reabilitação de infra-estruturas rodoviárias e a nova Base Naval da Marinha de Guerra.

À Angop, o analista Francisco Sachitota também falou do Fórum de Cooperação China - África, realizado na cidade chinesa de Beijing no mês de Setembro último, como uma demonstração do grande interesse chinês de continuar a cooperar, de forma estreita, com os países do continente africano.

Na sua óptica, nos últimos anos, a China tornou-se um parceiro ideal para a concretização de diversos projectos de impacto no continente africano.

Segundo o também docente universitário, em função da crise económica e financeira reinante, os países africanos buscam fontes alternativas para o financiamento das suas economias.

Durante o fórum, o presidente chinês, Xi Jinping, anunciou que o seu país vai disponibilizar, para os países africanos, cerca de 60 mil milhões de dólares.

Assuntos China   Cooperação   Opinião  

Leia também
  • 05/11/2018 20:13:47

    Manuel Augusto prepara visita do Chefe de Estado a Moçambique

    Luanda - O ministro das Relações Exteriores, Manuel Augusto, trabalhou durante três dias em Moçambique para, entre outros, reforçar os laços de cooperação nos vários domínios e preparar a visita de Estado do Presidente da República, João Lourenço.

  • 05/11/2018 18:57:03

    Embaixada desmente expulsão de angolanos no Congo Democrático

    Luanda - A Embaixada de Angola na República Democrática do Congo negou a existência de casos de expulsão de cidadãos angolanos neste país da África Austral, como retaliação da operação transparência.

  • 05/11/2018 17:36:45

    Ministro da defesa congolês deixa Luanda

    Luanda - O ministro da Defesa Nacional da República do Congo, Charles Richard Mondjo, deixou na tarde hoje (segunda-feira), Luanda, depois de proceder à entrega de uma mensagem do Presidente Dennis Sassou Nguesso ao homólogo angolano João Lourenço.

  • 05/11/2018 16:06:02

    PR recebe mensagem do homólogo do Congo

    Luanda - O Presidente da República, João Lourenço, recebeu nesta segunda-feira, em Luanda, uma mensagem verbal do seu homólogo do Congo, Denis Sassou Nguesso, relacionada com questões de interesse comum.