Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

25 Janeiro de 2019 | 12h08 - Actualizado em 25 Janeiro de 2019 | 12h19

Tshisekedi recebe em audiência chefe da diplomacia angolana em Kinshasa

Kinshasa (Dos enviados especiais) - O novo presidente da República Democrática do Congo (RDC), Félix Tshisekedi, recebeu em audiência, quinta-feira à noite, em Kinshasa, o ministro angolano das Relações Exteriores, Manuel Augusto, para abordar o futuro das relações bilaterais, constatou a Angop no local.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

O encontro, que constitui uma das primeiras audiências concedidas por Tshisekedi enquanto novo presidente da República, decorreu momentos depois da tomada de posse do novo chefe de Estado congolês saído das eleições gerais de 30 de Dezembro de 2018.

Em declarações prestadas à imprensa angolana à saída do encontro, o ministro Manuel Augusto considerou uma honra e um privilégio ter sido recebido pelo novo presidente congolês a quem disse ter transmitido “não só as felicitações do Presidente João Lourenço como também o desejo de reforçarmos as relações bilaterais”.

O chefe da diplomacia angolana foi igualmente recebido, pouco antes, por Joseph Kabila Kabange,  ex-presidente da RDC e antecessor de Tshisekedi a quem entregou uma outra mensagem do Presidente João Lourenço em que este trasmite o seu reconhecimento pelo papel desempenhado por Kabila para a efectivação da transição política e pacífica no país.

Explicou que a mensagem do Presidente João Lourenço a Kabila reafirma igualmente a disponibilidade de Angola continuar a trabalhar com a RDC.

O governante angolano esteve em Kinshasa a representar o Presidente João Lourenço na cerimónia de investidura de Tshisekedi como o quinto presidente da RDC.

Para Manuel Augusto, a cerimónia constiui “mais um exemplo de que África é capaz de encontrar soluções para os seus próprios problemas, lembrando que o acto resultou de um processo eleitoral enquadrado “num processo político complexo, que visa a estabilidade e  unidade na RDC”.

Considerou a RDC “um país muito importante para a estabilidade do nosso continente, e particularmente para os países da região”.

Eleito para um mandato de cinco anos renováveis uma vez, Tshisekedi  tomou posse perante o presidente do Tribunal Constitucional como quinto presidente da RDC, depois de ser

proclamado vencedor das últimas eleições presidenciais com 38,57 % dos votos,  contra 34,85% de Martin Fayulu e 23,84% de Emmanuel Shadary.

Antes de Tshisekedi, o país foi liderado Joseph Kasa-Vubu (1960-1965),  Mobutu Sese Seko (1965-1997),  Laurent-Désiré Kabila (1997-2001) e Joseph Kabila Kabange (2001-2019).

Assuntos Eleições  

Leia também
  • 04/02/2019 07:19:34

    Unita apela a participação nas tarefas das eleições autárquicas

    Uíge - O secretário da Unita no Uíge, Félix Simão Lucas, apelou, sábado, na aldeia Culo, 27 quilómetros a nordeste da cidade do Uíge, a população da província a participar, de forma activa, nas tarefas de preparação das eleições autárquicas, a decorrer no país em 2020.

  • 25/01/2019 12:47:31

    Angola e RDC preparam encontros bilaterais

    Kinshasa (Dos enviados especiais) - Angola e a República Democrática do Congo (RDC) vão manter, nos próximos dias, "encontros ao mais alto nível" para traçar o futuro das relações bilaterais, revelou quinta-feira à noite, em Kinshasa, o ministro angolano das Relações Exteriores, Manuel Augusto.

  • 24/01/2019 14:48:42

    Manuel Augusto na investidura de Tshisekedi

    Kinshasa (Dos enviados especiais) - O ministro angolano das Relações Exteriores, Manuel Augusto, esteve entre as personalidades presentes, esta quinta-feira, em Kinshasa, na cerimónia de investidura de Félix-Antoine Tshisekedi Tshilombo como novo presidente da República Democrática do Congo (RDC), constatou a Angop no local.