Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

04 Fevereiro de 2019 | 14h06 - Actualizado em 05 Fevereiro de 2019 | 12h27

Ministro pede união aos angolanos

Cabinda - O ministro da Administração do Território e Reforma do Estado, Adão de Almeida, pediu nesta segunda-feira, em Cabinda, que os angolanos tenham união e força para vencer os desafios, seguindo o exemplo, a bravura e determinação dos heróis do 4 de Fevereiro de 1961.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Adão de Almeida, Ministro da Administração do Território e Reforma do Estado (Arquivo)

Foto: Lino Guimaraes

Falando no acto central das comemorações do 58º aniversário do início da Luta Armada de Libertação Nacional, destacou ainda que os angolanos devem ter vontade de vencer e não de perder, sublinhando que sonhar comanda a vida.

"’Foi assim que os valorosos combatentes do 4 de Fevereiro sonharam e cumpriram com a sua determinação e entrega para a liberdade do povo angolano", lembrou.

Ressaltou os resultados da intenção dos combatentes que, unidos na mesma fé, sem distinção de raça ou etnia, apenas no espírito de 4 de Fevereiro, produziram esse feito.

Acrescentou que esse feito permite hoje a harmonia, a paz, a unidade nacional e o desenvolvimento nos vários sectores da vida social, económica e política do país.

Destacou os sectores da educação e saúde, que têm conhecido níveis acentuados, tanto na formação do homem, quanto em infra-estruturas, oferecendo serviço digno aos angolanos.

Particularizando a província de Cabinda, Adão de Almeida reafirmou a construção da Refinaria de transformação dos derivados do crude, cujas obras arrancam este ano.

Destacou ainda a conclusão das obras do terminal de passageiros e do quebra-mar e consequentemente o funcionamento dos serviços de cabotagem de passageiros e cargas na costa local, nas linhas Cabinda/Soyo/ Luanda e vice versa, dando resposta a descontinuidade geográfica que por vezes agrava custos na mobilidade das pessoas e cargas.

Quanto às obras do Porto de Águas Profundas do Caio e da Gare do Aeroporto Maria Mambo Cafe, o governante disse haver esforços do Executivo na busca de financiamentos, para que as mesmas conheçam o seu arranque e conclusão, visando dar outro alento ao desenvolvimento da província.

O Hospital Geral de Cabinda, a ser erguido na localidade de Chibodo, cujas obras de execução estão a bom ritmo, mereceu igualmente referência de Adão de Almeida, para quem isso é  fruto dos esforços do Executivo no cumprimento das acções programadas para a província.

Autarquias

A criação de condições técnicas, materiais, o reforço em recursos humanos e uma maior aposta na educação são aspectos a ter em conta para a realização das autarquias marcadas para o país no ano de 2020, referiu o ministro da Administração do Território e Reforma do Estado, Adão de Almeida.

O país se mobiliza para grandes reformas e para outros desafios, entre eles a reforma do modelo de gestão da administração local que culminará com a institucionalização das autarquias locais.

Explicou que quando as autarquias locais estiverem criadas, os municípios passarão a ser autónomas e algumas tarefas hoje exercidas pelos ministérios e governos provinciais passarão a ser desenvolvidas pelos municípios.

Para que tal aconteça é necessário preparar bem as condições nos municípios, reforçar os recursos humanos e investir na sua formação, criar as condições mínimas para atracção de quadros para os municípios, criar condições para o funcionamento da autonomia financeira dos municípios e clarificar algumas situações da divisão.

A melhor forma de o fazer, prosseguiu, é cuidar bem da nossa terra, preservando a independência e a integridade territorial.

Leia também