Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

15 Fevereiro de 2019 | 16h53 - Actualizado em 15 Fevereiro de 2019 | 16h47

Dirigente luso ressalta crescimento das exportações de Angola para Portugal

Luanda - As exportações de Angola para Portugal cresceram consideravelmente nos últimos tempos, facto que torna a cooperação bilateral equilibrada, declarou esta sexta-feira, em Luanda, o ministro dos Negócios Estrangeiros luso, Augusto Santos Silva.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Chefe da diplomacia de Angola, Manuel Augusto (à dir.) com homólogo português, Augusto Santos Silva

Foto: Alberto Julião

Em declarações à imprensa, o chefe da diplomacia portuguesa considerou positiva a balança comercial entre os dois países, augurando que as exportações de Portugal para Angola retomem o ritmo dos anos anteriores.

O ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal chegou quinta-feira a Luanda, a fim de preparar a visita do Chefe de Estado português, Marcelo Rebelo de Sousa, a Angola, que se inicia a cinco de Março próximo.

Segundo Augusto Santos Silva, as empresas portuguesas estão disponíveis para investir em Angola, considerando um aproveitar de oportunidades para gerar lucros em ambos os lados.

Entende que uma relação económica para ser frutuosa tem que trazer benefícios mútuos, para quem a comunidade portuguesa e os empresários lusos sediados em Angola aguardam com grande expectativa a visita de Estado do Presidente Marcelo Rebelo de Sousa.

Agradeceu, por outro lado, a prontidão e o gesto apaziguador das autoridades angolanas em relação ao incidente ocorrido num bairro da capital lusa, envolvendo angolanos.

Já Manuel Augusto, ministro da Relações Exteriores de Angola, considera que a visita do Chefe de Estado luso ao país abre um novo ciclo nas relações entre os dois países, que se iniciou com a visita de Estado do Presidente angolano, João Lourenço às terras lusas o ano transacto.

Angola e Portugal estabeleceram relações diplomáticas a 9 de Março de 1976. No quadro económico, as empresas portuguesas têm uma considerável presença no mercado angolano, em sectores como os da construção, banca, exportação de produtos alimentares e bebidas.

Já Angola é um dos principais investidores privados em Portugal, com actividades que vão desde a energia às telecomunicações e banca.

Os dois países assinaram recentemente, entre outros, acordos sobre o 4º Aditamento à Convenção relativa à cobertura de riscos de créditos à exportação de bens e serviços de origem portuguesa para Angola e a Convenção que elimina Dupla Tributação em matéria de Impostos sobre rendimentos e Prevenir a Fraude e a Evasão Fiscal.

Angola e Portugal “fecharam” ainda o novo Programa Estratégico de Cooperação 2018-2022 e um acordo de assistência administrativa mútua em matéria tributária. Este último está relacionado com a introdução do IVA em Angola, já no quadro do Orçamento Geral de Estado (OGE) DE 2019.

Leia também
  • 15/02/2019 20:43:17

    PR exonera e nomeia vice-governadores

    Luanda - O Presidente da República, João Lourenço, exonerou nesta sexta-feira os vice-governadores do Cunene para o sector Político, Social e Económico, e para os Serviços Técnicos e Infra-estruturas, respectivamente, Albertina Teresa José e Feliciano Salomão Himulova.

  • 15/02/2019 20:33:07

    CASA-CE quer recuperar fulgor

    Luanda - A Convergência Ampla de Salvação de Angola - Coligação Eleitoral (CASA-CE) quer recuperar o fulgor, que a elevou como a terceira força política do país em menos de dez anos.

  • 15/02/2019 17:46:09

    Angola anseia solução negociada na Venezuela

    Luanda - O Governo angolano anseia que, através do diálogo, se chegue à uma solução pacífica para se ultrapassar a actual crise política na Venezuela, ressaltou esta sexta-feira, em Luanda, o ministro das Relações Exteriores, Manuel Augusto.