Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

20 Fevereiro de 2019 | 18h10 - Actualizado em 20 Fevereiro de 2019 | 18h10

Mais de 300 novos agentes reforçam fileiras da Polícia Nacional

Mbanza Kongo - Trezentos e 67 novos agentes da polícia da ordem pública concluíram nesta quarta-feira, o curso básico de formação do centro de instrução de Nzau-Évua, município de Mbanza Kongo, província do Zaire, que teve a duração de seis meses.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Zaire: Acto simbólico de patenteamento dos novos agentes da PN

Foto: Pedro Moniz Vidal

Os finalistas, 43 dos quais do sexo feminino, são provenientes da direcção nacional dos recursos humanos da polícia nacional e fazem parte do pessoal licenciado da disponibilidade militar das Forças Armadas Angolanas (FAA) no período de 2018/2019.

Os mesmos foram dotados de matérias básicas na vertente teórica e prática para o exercício da profissão policial.

Durante este 17º curso básico da polícia de ordem pública foram ministradas entre outras disciplinas, a comunicação interpessoal, ordem unida, continência e honras militares, saúde, higiene e primeiro socorro, regulamento e disciplina da polícia nacional.

Os agentes receberam, ainda, matérias relacionadas com noções de direito penal, direito processual penal, direitos humanos, organização policial, ética e deontologia policial, técnica policial, táctica da força policial, criminalística, entre outras.

Os finalistas beneficiaram também de palestras que versaram sobre os direitos humanos e direitos fundamentais, a lei da prisão preventiva, isolamento e preservação do local de crime, higiene, saúde e saneamento básico, entre outras temáticas essenciais.

Quanto à componente prática, os novos agentes participaram no asseguramento da passada quadra festiva nos seis municípios da província do Zaire, assim como realizaram actividades práticas específicas na cidade de Mbanza Kongo, orientadas pelos respectivos instrutores.

O curso de formação policial, que contou inicialmente com 410 inscritos, foi encerrado pelo director nacional da ordem pública, comissário-chefe Mário Augusto Oliveira Santos, em representação do comissário-geral Paulo de Almeida.

O Oficial apelou ao novo efectivo à observância da disciplina, ética e deontologia policiais, abstendo-se de práticas que mancham o bom nome da corporação.

Testemunharam o acto, o comandante provincial do Zaire da polícia nacional e delegado do Minint, comissário Manuel Gouveia, o comandante do centro de instrução policial de Nzau-Évua, comissário Manuel Gregório de Sousa, entre outros convidados.

O centro de instrução de Nzau-Évua, situado a cerca de 36 quilómetros a sudoeste da cidade de Mbanza Kongo, existe há cinco anos e já formou dois mil e 367 agentes nas mais diversas especialidades básicas da polícia nacional.

 

Leia também
  • 18/02/2019 11:14:28

    SME impede entrada de cidadãos por irregularidade migratória

    Mbanza Kongo - Doze cidadãos da República Democrática do Congo (RDC) em situação migratória irregular foram impedidos de entrar no território nacional, pelo Serviço de Migração e Estrangeiros (SME) na província do Zaire, nas últimas 24 horas.

  • 15/02/2019 11:26:47

    Aumentam infracções no perímetro fronteiriço

    Mbanza Kongo - Oitenta e cinco infracções fronteiriças diversas foram registadas nos últimos sete dias no perímetro fronteiriço entre a província do Zaire e a região do Congo Central (RDC), verificando-se um acréscimo de cinco ocorrências comparativamente à semana anterior.

  • 13/02/2019 17:22:05

    PN anuncia combate à corrupção no seio dos efectivos

    Luanda - O comandante-geral da Polícia Nacional, Paulo de Almeida, anunciou esta quarta-feira, em Luanda, a tomada de medidas punitivas disciplinares e criminais aos agentes que infligirem as normas da função policial, com enfoque para os actos de corrupção.