Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

23 Março de 2019 | 17h28 - Actualizado em 23 Março de 2019 | 17h35

Actividades do 23 de Março constituem destaque da semana

Luanda - As actividades em torno do 23 de Março, Dia da Libertação da África Austral, em que participaram vários chefes de Estado da região, marcaram o noticiário político da semana que hoje, sábado, termina.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Cuando Cubango: Acto alusivo ao Dia da Libertação da África Austral

Foto: Gaspar dos Santos

O acto central, decorrido na localidade do Cuito Cuanavale, província do Cuando Cubango, centrou-se nos discursos de Hage Geingob, Presidente da República da Namíbia e Presidente em exercício da SADC, bem como do Chefe de Estado angolano, João Lourenço.

O Presidente da República, João Lourenço, considerou a localidade do Cuito Cuanavale, província do Cuando Cubango, um património histórico dos povos da África Austral.

Trata-se da localidade onde, entre os anos de 1987 e 1988, se desenrolou a Batalha do Cuito Cuanavale, que abriu caminhou à queda do Apartheid (regime de segregação racial) na África do Sul e independência da Namíbia.

O Chefe de Estado angolano afirmou que a batalha do Cuito Cuanavale quebrou o mito de invencibilidade do exército do antigo regime de segregação racial da África do Sul.

O Estadista angolano falou também da libertação de Nelson Mandela e destacou o contributo prestado, no quadro da batalha, pelos governos de Cuba e da Rússia.

Disse que foi necessário fazer frente aos perigos da política militarista e expansionista do Apartheid para garantir o progresso e bem-estar da região.

Já o Presidente em exercício da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), Hage Geingob, reafirmou, que o 23 de Março representa os anseios do povo que lutou para a libertação da região e a sua comemoração será perpétua.  

Hage Geinbob deixou claro que, “apesar de existirem vozes que tentam desacreditar a data", a SADC, órgão por si dirigido, vai continuar a celebrá-la, por reflectir os anseios do povo da região.

Ao mesmo tempo, o também Presidente da República da Namíbia agradeceu aos líderes da SADC por terem, de forma colectiva, tomado a decisão, durante a cimeira decorrida em Agosto de 2018 no seu país, em declarar o 23 de Março como o Dia de Libertação da África Austral, sob proposta de Angola.

Constituiu ainda destaque da semana, a visita de trabalho do Presidente do Rwanda, Paul Kagame, a Angola, tendente ao reforço das relações bilaterais e análise da situação da região dos Grandes Lagos.

Os estadistas dos dois países concederam uma breve conferência de imprensa, que serviu para esclarecer os níveis de cooperação existente entre Angola e o Rwanda.

Angola e o Rwanda avançaram com a possibilidade das companhias áreas oficiais dos dois países (TAAG e RwandAir) ligarem as capitais, Luanda e Kigali.

A recuperação dos activos do Fundo Soberano de Angola, pela Procuradoria-Geral da República, que se encontravam sob gestão da Quantum Global, empresa de Jean Claude de Morais Bastos, constituiu também destaque do noticiário político da semana finda.

Por conseguinte, o Ministério Público informou, em comunicado de imprensa, que decidiu não mais prosseguir criminalmente contra o empresário Jean Claude de Morais Bastos, tendo lhe sido restituída a liberdade.   

A par disso, as autoridades angolanas anunciaram que a “Operação Transparência" será estendida à costa marítima de Angola, a fim de prevenir e combater actos de pesca ilegal, contrabando de mercadorias e tráfico de seres humanos.

Nos últimos sete dias, o vice-presidente da República, Bornito de Sousa, deslocou-se a província de Benguela, onde as enxurradas ocorridas no fim-de-semana passado provocaram 12 mortos e dezenas de feridos, além de desalojar várias famílias.

O vice-presidente solidarizou-se com os sinistrados e prometeu o apoio das autoridades no sentido de verem minimizadas as suas perdas.

Assuntos Resenha  

Leia também