Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

20 Março de 2019 | 20h17 - Actualizado em 21 Março de 2019 | 08h37

Apoio condiciona construção de navios na Baía Farta

Benguela - As maiores empresas do ramo pesqueiro na Baía Farta (Benguela) apelaram nesta quarta-feira ao apoio do Estado para investir na edificação de um estaleiro para a construção e reparação de embarcações industriais e semi-industriais e o melhoramento do sistema de processamento do pescado.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Vice-presidente Bornito de Sousa inteirou-se do funcionamento de empresas pesqueiras na Baía Farta

Foto: António Escrivão

Vice-presidente da República, Bornito de Sousa visita empreendimentos económicos na Baía Farta

Foto: António Escrivão

A inquietação foi expressa ao vice-presidente da República, Bornito de Sousa, nas visitas que efectuou as pescarias adstritas aos grupos "Vimar & Filhos", "Alfa Fishing" e "Socipescas", no quadro da missão de trabalho de 48 horas, à província de Benguela.

O grupo "Vimar & Filhos", com cerca de 600 trabalhadores e investimentos de cerca de 65 milhões de dólares, tem capacidade de captura de 16 mil toneladas por ano, 450 toneladas de congelação e duas mil toneladas de conservação.

Segundo informações cedidas, o grupo "Alfa Fishing", com investimento de cerca de 12 milhões de dólares e 240 funcionários, conta instalar um novo sistema de processamento de pescado, avaliado em um milhão 500 mil, cujo equipamento já se encontra no Porto de Luanda.

O grupo "Socipesca" quer aplicar dois milhões de dólares na aquisição de um barco e criar 40 novos postos de trabalho.

Os proprietários se queixam dos custos elevados dos combustíveis, escassez de divisas para aquisição de peças sobressalentes, ausência de créditos com taxas de juros bonificadas.

O vice-presidente não prestou declarações à imprensa nas três instituições, que já beneficiaram do programa de financiamentos do governo "Angola Investe".

Bornito de Sousa esteve igualmente na centralidade da Baía Farta, erguida há numa área de 96,79 hectares, onde apenas 270 casas, das mil estão já ocupadas.

O secretário de Estado da Habitação, Joaquim Silvestre, assegurou que o Estado está analisar a falta de ocupação das casas já atribuídas, fenómeno que ocorre em quase todo o país.

O centro urbanístico dispõe de jardins de infância, escolas primárias e secundária, estações de bombagem de água potável e tratamento das residuais e iluminação pública.

Bornito de Sousa se inteirou do funcionamento da subestação eléctrica capaz de fornecer mais de 30 KW de energia à sede da Baía Farta.

Assuntos Angola   Pesca   Província » Benguela  

Leia também
  • 20/03/2019 16:54:36

    "Operação Transparência" estende-se à costa marítima

    Luanda - A "Operação Transparência", iniciada a 25 de Setembro de 2018, será estendida, nos próximos dias, à costa marítima de Angola, a fim de prevenir e combater actos de pesca ilegal, contrabando de mercadorias e tráfico de seres humanos.

  • 20/03/2019 09:53:55

    Bornito de Sousa conforta sinistrados da Catumbela

    Benguela - O vice-presidente da República, Bornito de Sousa, transmitiu nesta quarta-feira a sua solidariedade às famílias sinistradas pelas enxurradas, que no fim-de-semana passado causaram 12 mortes na Catumbela.

  • 20/03/2019 08:44:40

    Vice-presidente em Benguela para impulsionar pescas e produção de sal

    Benguela - O vice-presidente da República, Bornito de Sousa, chegou no princípio da manhã desta quarta-feira, à província de Benguela, para, entre outras questões, relançar o sector pesqueiro e a produção de sal no município da Baía Farta.