Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

19 Maio de 2019 | 11h01 - Actualizado em 19 Maio de 2019 | 11h01

Malanje: MPLA alarga comité provincial de 135 para 191 membros

Malanje- O Comité provincial do MPLA de Malanje, conta desde sábado(18), com 191 membros contra os 135 anteriores, fruto da eleição de 38 novos membros, eleitos durante a IV Conferência Provincial Extraordinária .

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

O conclave elegeu ainda 3 membros ao Comité Central do Partido.

Procedeu o encerramento da IV Conferência provincial Extraordinária, o coordenador do grupo de acompanhamento do Bureau Político do Mpla para a província de Malanje, Paulo Pombolo,tendo na ocasião  frisado, que o partido vai apostar nas eleições autárquicas marcadas para 2020.

Fez saber que para o efeito, o partido terá que contar  com militantes tecnicamente capazes e politicamente comprometidos com os anseios do povo angolano.

Para si, tal aposta, exigirá um trabalho redobrado de todas as estruturas do partido, na preparação dos candidatos a participar no referido processo.

Pediu, por isso, inovação na forma de fazer política, o que implica o desenvolvimento de novas técnicas de mobilização, deixando de parte as “distracções”.

Por outro lado, Paulo Pombolo enfatizou que todos os militantes do MPLA devem obediência aos princípios e normas que regem o funcionamento do partido, pois ninguém está acima dos seus estatutos e organismos.

Reafirmou a inexistência de crise interna no partido, tendo advertido para a necessidade de não se confundir a democracia com anarquia e a liberdade com libertinagem, acentuando que o MPLA é um partido de fortes convicções, cuja existência esteve sempre aliada ao compromisso de resolver os problemas do povo.

“Aqueles que pensam que podem dividir o MPLA e satisfazer as suas maléficas intenções, é preciso que entendam que o partido carrega mais de 60 anos de experiência, que o transformou numa organização robusta e com capacidade de antecipar-se aos acontecimentos, trabalhar para o povo e impulsionar o desenvolvimento” sustentou.

O secretário disse haver normal exercício da democracia no seio da organização e que a sua consolidação continuará a ser uma tarefa de todos os militantes, quadros e dirigentes dos diversos órgãos, organismos e estruturas de base.

Outrossim, o político exortou o empenho dos militantes na implementação do programa de governação do MPLA, sufragado nas eleições gerais de 2017, contribuindo, deste modo, para o seu êxito.

Quanto a realização do VII Congresso Extraordinário, aprazado para 15 de Junho, caracterizou como um evento que vai reforçar a capacidade de direcção do partido, reafirmar a liderança do seu presidente e a promoção permanente da unidade e coesão interna no seio do MPLA.

Leia também