Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

24 Maio de 2019 | 18h48 - Actualizado em 24 Maio de 2019 | 19h45

Comandante anuncia reequipamento e modernização da MGA

Luanda - O novo comandante da Marinha de Guerra Angola (MGA), João da Cunha Júnior, anunciou que irá trabalhar com afinco no reequipamento e modernização do Ramo das FAA, à luz dos programas e projectos existentes, cuja execução decorre de forma faseada.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Comandante da Marinha de Guerra, João Pedro da Cunha Junior

Foto: Francisco Miudo

O comandante da Marinha de Guerra Angolana (MGA), empossado recentemente, foi apresentado esta sexta-feira, em Luanda, aos responsáveis do Ramo pelo Chefe de Estado-Maior General das FAA (CEMG/FAA), Egídio de Sousa Santos.

Informou que as infra-estruturas estão nas prioridades, seguindo-se os projectos existentes, de forma a conferir funcionalidade, comodidade e dgnidade ao Rano e a todos os seus servidores.

O almirante João Júnior elegeu, ainda, como prioridade o combate à pirataria e práticas conexas, poluição dos mares, imigração ilegal, tráfico de pessoas e de substância proibidas.

"A defesa militar do país através do mar e rios, contra qualquer agressão e ameaças dos tempos modernos, que vão desde à imigração ilegal, contrabando, tráfico de pessoas e de substâncias proibidas, roubo das riquezas marinhas, poluição dos mares, pirataria ou práticas conexas, em conjunto com outros serviços será uma prioridade na medida em que constitui a missão do Ramo", observou.

De acordo com a fonte, o homem continuará também a ser o elemento preponderante para os grandes desafios reservados à Marinha de Guerra, que contará num futuro próximo com meios que requerem grande qualificação por parte do seu pessoal, não só os que vão manejar directamente a técnica, mas também os que intervêm na cadeia (planeamento e execução).

Alertou, entretanto, para a necessidade da contenção de gastos, devido a situação económica e financeira que o país atravessa, sublinhando maior empenho de todos integrantes da cadeia de Comando para o êxito do trabalho.

Já o chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas Angolanas (CEMG/FAA), Egídio de Sousa Santos, recomendou reforço contra o fenómeno da pirataria marítima e outras práticas ilícitas.

A Marinha de Guerra Angolana foi fundada em 1976, por altura da visita do primeiro Presidente e fundador da nação angolana, António Agostinho Neto, à base naval de Luanda, facto que coincidiu com o fim do período de instrução dos primeiros militares do ramo pós independência do país.

A MGA tem como missão específica garantir a defesa das águas nacionais, de acordo com os princípios de Defesa Nacional.

Assuntos Marinha de guerra   Política  

Leia também