Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

20 Julho de 2019 | 21h08 - Actualizado em 22 Julho de 2019 | 10h29

Malanje: MPLA reitera combate à corrupção

Malanje, 20/07(Angop)- O primeiro-secretário municipal de Malanje do MPLA, João de Assunção, reiterou hoje (sábado), nesta cidade, a necessidade de participação dos militantes do partido, em particular, e dos cidadãos nacionais, em geral, no combate à corrupção, nepotismo, bajulação e outras práticas que tendem a lesar o funcionamento das instituições e da sociedade.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

O político apelou quando intervinha no acto de lançamento da campanha pública de mobilização da sociedade para a luta contra esses fenómenos, levada a cabo pelo partido no país, visando a mudança de comportamento dos cidadãos.

João de Assunção realçou que todos os angolanos são chamados a assumir o papel de agente da mudança, com gestos básicos, como evitar corromper, ser corrompido e tirar vantagens legítimas, bem como gerir de forma parcimoniosa o património público.

A campanha culminou com a dissertação de temas como "O combate à corrupção, ao nepotismo, à bajulação e à impunidade no programa de Governo do MPLA para 2017/22", "O papel da escola no combate à corrupção", "A ética na administração pública", "A corrupção como factor inibidor do desenvolvimento económico", entre outros.

Ao dissertar sobre o papel dos órgãos da justiça no combate à corrupção, Ambrósio Chimuanga esclareceu que, aliada à corrupção, os crimes conexos inviabilizam o desenvolvimento do país, pelo que os seus autores devem ser punidos por lei, tendo, por isso, alertado para a necessidade de abstenção desses males.

A campanha decorreu sob o lema “combater a corrupção, o nepotismo, a bajulação e a impunidade é garantir um futuro melhor e bem-estar das famílias angolanas".

O acto foi testemunhado por militantes do Comité Municipal de Malanje do MPLA e das suas organizações de base.

Leia também