Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

22 Agosto de 2019 | 11h09 - Actualizado em 22 Agosto de 2019 | 12h46

Centralidade da Caála termina em 2020

Caála - A construção das infra-estruturas de transporte e distribuição de energia e de água, na Centralidade da Caála, província do Huambo, deve ser concluída no primeiro trimestre de 2020.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Centralidade da Caála, na província do Huambo

Foto: Pedro Parente

A informação foi avançada nesta quinta-feira, pelo director em exercício do Gabinete Técnico e Infra-estruturas do Planalto Central, João Banga, que disse estarem em conclusão o sistema de fornecimento de energia eléctrica e da estação de tratamento de água potável, esta última a partir do rio Kunhoñgomama, entrada Huambo/Caála.

No domínio da água, decorrem trabalhos de acabamento de um reservatório com capacidade para bombear três mil e 500 metros cúbicos e uma torre de pressão com 200 metros cúbicos.

Em relação à energia eléctrica, há obras em curso para colocação das torres de condução dos cabos de alta tensão da Centralidade da Caála, que será abastecida pela Central do Belém, através do Aproveitamento Hidroeléctrico de Laúca.

Segundo João Banga, que falava à imprensa, à margem da visita do Vice-Presidente da República, Bornito de Sousa, a maioria dos equipamentos sociais já foram concluídos, com destaque para as avenidas no interior do centro urbanístico, executadas em 84 por cento.

Reafirmou que as quatro mil e uma moradias do projecto já estão acabadas.

A Centralidade da Caála conta com habitações do tipo T3, entre as quais dois mil e 832 apartamentos, 808 casas do tipo duplex, 361 moradias térreas e 240  casas comerciais.

No novo projecto habitacional, cujas obras iniciaram em 2012, constam ainda três centros infantis, dois jardins-de-infância, três escolas primárias, duas do ensino secundário, um instituto de formação técnico-profissional, um centro de saúde e um complexo desportivo.

A província do Huambo conta igualmente com as centralidades do Lossambo, inaugurada em 2017, nos arredores da cidade do Huambo, com 2009 residências, e a do Bailundo, em fase de acabamento, com três mil casas.

As habitações dos três projectos são vendidas no modelo de renda resolúvel, arrendamento e venda livre (pronto-pagamento).

O Vice-Presidente da República está a constatar, nesta municipalidade, a execução das políticas de governação local e de combate às assimetrias regionais, bem como a implementação de projectos estratégicos desenvolvidos localmente.

De igual modo, vai reunir-se com as autoridades locais e os representantes de organizações da comunidade da Caála, além de visitar empreendimentos socioeconómicos.  

Assuntos Província » Huambo  

Leia também
  • 22/08/2019 09:52:22

    Vice-Presidente rende homenagem ao "mítico" Wuambu Kalunga

    Caála - O Vice-Presidente da República, Bornito de Sousa, rendeu hoje, quinta-feira, homenagem ao mítico caçador Wuambu Kalunga, fundador do Reino do Huambo no século XV e cujo nome deu origem a esta província do planalto central de Angola.

  • 17/08/2019 19:13:27

    Minint recomenda aprofundamento permanente da técnica militar

    Huambo - O comandante da Polícia Nacional e Delegado do Ministério do Interior na província do Huambo, comissário Francisco Ribas da Silva, recomendou hoje, sábado, o aprofundamento permanente da técnica militar, por parte do efectivo dos órgãos de defesa e segurança, enquanto baluartes da garantia do Estado democrático e de direito.

  • 15/08/2019 19:39:01

    Unita reitera apelo ao respeito pelas diferenças partidárias

    Caála - A nova secretária da Unita no município da Caála (Huambo), Deli Chiteculo, reiterou hoje, quinta-feira, o apelo da organização à tolerância e respeito pelas diferenças partidárias, para a consolidação da democracia, da unidade e reconciliação nacionais, bem como da preservação da paz.