Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

23 Agosto de 2019 | 18h37 - Actualizado em 23 Agosto de 2019 | 18h39

Justiça regista 300 denúncias de corrupção

Luanda - O Gabinete de Inspecção do Ministério da Justiça e Direitos Humanos recebeu, de Janeiro a Julho do corrente ano, trezentas denúncias de corrupção em postos de identificação, registo e notariado, disse hoje (sexta-feira), em Luanda, o consultor para Ética e Moralização, Sebastião Rocha.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Em entrevista à Angop, a propósito da Campanha de Moralização contra a Corrupção da Justiça, o consultor deu a conhecer que das 300 denúncias, 15 resultaram em acções disciplinares.

Segundo Sebastião Rocha, 20 denúncias estão em apuramento para acções disciplinares ou criminais e os restantes 265 casos foram considerados não graves.

“Estes processos (265 casos) foram submetidos aos directores provinciais no sentido de resolverem localmente, pois era uma questão de sensibilização”, adiantou.

O consultor informou que a instituição recebe em média 35 denúncias por dia, nas províncias de Luanda, Zaire, Cabinda, Cuanzas Norte e Sul, Malange, Benguela, Huambo,Uige, Bié e Bengo.

Segundo o responsável, existe uma linha de denúncia disponível para os utentes, gerida pelo Gabinete de Inspecção, que recebe e regista as queixas.

Esclareceu que fruto dos dados recolhidos, a inspecção faz deslocar alguns técnicos ao local indicado para apurar a veracidade dos factos.

Sebastião Rocha esclarece que fruto das evidências recolhidas, formam-se processos investigativos e, se for necessário, identificam-se algumas testemunhas para confirmar a informação recolhida e assim os infractores são identificados, sendo os casos simples resolvidos internamente e os graves encaminhados a Procuradoria Geral da República (PGR).

O consultor deu a conhecer que a Campanha de Moralização contra a Corrupção na Justiça está na primeira fase, que é de moralização, a segunda será de fiscalização e a terceira de responsabilização.

O consultor do ministro da Justiça e Direitos Humanos para Ética e Moralização lembrou que a primeira fase termina depois da visita das equipas do ministério às restantes províncias.  

A Campanha de Moralização Contra a Corrupção na Justiça foi lançada em Maio de 2018, em Luanda, e tem como objectivo moralizar os funcionários do sector.

Leia também
  • 23/08/2019 16:34:47

    INE distrói material usado no Censo 2014

    Luanda - O Instituto Nacional de Estatística (INE) iniciou, nesta sexta-feira, o processo de queima de duas mil oitocentas toneladas de papel (inquérito) realizado durante o Censo 2014.

  • 23/08/2019 15:13:16

    Falta de técnicos condiciona identificação civil no Zaire

    Mbanza Kongo - A falta de técnicos e de infra-estruturas está a condicionar a expansão dos serviços de Identificação Civil e Criminal nos municípios do Tomboco e Nóqui, província do Zaire.

  • 13/08/2019 12:46:41

    Tribunal de Viana poderá encerrar por falta de condições

    Luanda - A falta de energia eléctrica e de outras condições de trabalho poderá provocar o encerramento, por tempo indeterminado, do Tribunal de Viana, na província de Luanda, disse hoje (terça-feira) à Angop fonte oficial.