Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

05 Setembro de 2019 | 19h15 - Actualizado em 05 Setembro de 2019 | 19h15

Angola avaliada pelo Conselho de Direitos Humanos - Secretária de Estado

Luanda - A secretária de Estado para os Direitos Humanos e Cidadania, Ana Celeste Januário, disse hoje (quinta-feira), em Luanda, que Angola será avaliada, nos próximos meses, pelo Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Secretária de Estado dos Direitos Humanos e Cidadania, Ana Celeste Januário

Foto: Alberto Juliao

Ao discursar no Workshop sobre “Sistemas Regionais dos Direitos Humanos africanos e europeus”, que decorreu nesta quinta-feira, no Instituto Superior Político “Kangonjo”, em Cacuaco, Ana Celeste Januário informou que este mecanismo das Nações Unidas é denominado Avaliação Periódica e Universal (UPR),

Segundo a secretária, é tarefa do UPR avaliar todos os Estados do mundo em matéria dos direitos humanos, situação pela qual Angola já passou em 2014 e 2015 e volta a passar, pela terceira vez, nos próximos meses.

De acordo com a secretária de Estado,  quer a nível do sistema africano como a nível internacional dos Direitos Humanos, Angola não tem relatórios atrasados, colocando-se a frente de muitos países, numa fase final de adesão aos Tratados de Direitos Humanos.

Considera que o pais está num processo de criação de consciências, por isso, “os debates com ideias e contributos positivos podem servir para melhorar a forma como olhamos para os direitos humanos, onde cada um possa sair mais consciente da sua responsabilidade individual, na protecção dos direitos”.

Na definição das normas dos direitos humanos, a União Africana teve em conta os valores regionais, procurando não comprometer a ideia da universalidade, defendeu.

Esclareceu que  o sistema africano de protecção dos direitos humanos , o mais recente de todos, nasceu na década de 80 e reflecte a história do continente como cultura e tradições, a luta pela independência e a diversidade e autodeterminação dos povos.

Temas como "Comissão Africana dos Direitos Humanos e dos Povos: Os desafios actuais” e “O papel do Tribunal Africano dos Direitos Humanos e dos Povos na Protecção e Defesa dos Direitos Humanos:  Avanços e constrangimentos" foram analisados no evento.

“A  experiência da Europa na garantia e protecção dos Direitos Humanos” e “O Tribunal Europeu dos Direitos Humanos” também foram debatidos no worhshop.

Durante o evento, professores, pesquisadores e estudantes fizeram uma avaliação comparativa entre os diferentes sistemas dos Direitos Humanos, além de terem aventado a hipótese da inclusão da cadeira de direitos humanos no currículo académico universitário.

O Workshop foi realizado no âmbito dos acordos existentes entre as diferentes instituições do ensino superior, Ministério da Justiça e dos Direitos Humanos e o Reino da

Leia também
  • 04/09/2019 17:27:45

    Consultor advoga cultura de denúncia nas instituições

    Luanda- O consultor do ministro da Justiça e dos Direitos Humanos, Sebastião Rocha, advogou hoje (quarta-feira), em Luanda, a necessidade de implementação da cultura de denúncia por parte dos cidadãos, para combater de forma eficaz a corrupção nas instituições.

  • 04/09/2019 16:35:09

    IGAE verifica melhoria nas instituições públicas

    Luanda - A Inspecção Geral da Administração do Estado (IGAE) considera haver melhorias no atendimento dos utentes nas instituições públicas depois de fiscalizadas, disse hoje (quarta-feira), em Luanda, o director do Gabinete Jurídico daquela instituição, Paulo Alves.

  • 28/08/2019 17:57:42

    MPLA em Cacuaco quer uso racional das redes sociais

    Luanda - O secretário provincial do Departamento de Informação do MPLA, em Luanda, Victor Nataniel Narciso, exortou hoje, aos militantes do seu partido no município de Cacuaco, a usarem de forma responsável e racional as redes sociais e evitarem dissabores.