Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

14 Setembro de 2019 | 22h01 - Actualizado em 15 Setembro de 2019 | 00h42

Zmbabwe: PR da África do Sul pede desculpas pelos acontecimentos no seu país

Harare (Dos enviados especiais) - O Presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa, lamentou e pediu desculpas, neste sábado, em Harare, Zimbabwe, pelos actos de violência ocorridos no seu país nas últimas semanas.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

“Lamento e peço desculpas pelo que aconteceu no nosso país”, disse Ramaphosa, quando discursava na cerimónia de exéquias do antigo Presidente do Zimbabwe, no National Sports Stadium, em Harare.

De acordo com Ramaphosa, o que aconteceu na África do Sul contraria os princípios de unidade do povo africano pelos quais os presidentes Mugabe e Nelson Mandela, Oliver Tambo e os grandes líderes africanos se bateram.

Uma onda de ataques considerados xenófobos tem assolado algumas províncias da África do Sul, tendo como alvos principais africanos de outras nacionalidades, resultando em mortes e destruição de diverso património.

Para Cyril Ramaphosa, os sul-africanos não são xenófobos e não estão contra outros africanos.

Assegurou ao povo do Zimbabwe e aos africanos em geral que o seu país está a trabalhar arduamente para sensibilizar os sul-africanos a abraçarem os emigrantes africanos.

 “Todas os imigrantes são bem-vindas e vamos trabalhar arduamente para sensibilizar os sul-africanos a acomodar os visitantes africanos”, disse Ramaphosa.

Por outro lado, agradeceu ao povo zimbabweano e aos líderes africanos presentes pelo apoio prestado durante os momentos mais difíceis do seu país.

Expressou as suas “mais profundas” condolências à família Mugabe, à ZANU-PF e ao povo zimbabweano, pelo passamento físico do “pai fundador” do Zimbabwe.

Ramaphosa considerou Robert Mugabe um “africanista sério e herói africano”.

Recordou que quando a África do Sul se tornou democrática, Robert Mugabe foi o primeiro Chefe de Estado africano a ser recebido pelo Presidente Nelson Mandela.

O líder e nacionalista do Zimbabwe, Robert Mugabe, que governou o país desde a independência, em 1980, até o seu afastamento do poder em 2017, faleceu sexta-feira (6), aos 95 anos, num hospital em Singapura, onde recebia tratamento médico desde Abril do corrente ano.

As suas exéquias tiveram lugar em Harare, em cerimónia assistida por alguns milhares de pessoas, presidentes, vice-presidentes, antigos presidentes africanos, representantes de organismos internacionais e regionais, e dignitários de outras partes do mundo, incluindo do Médio Oriente, América Latina, China e Rússia.

Assuntos Angola   África   África do Sul  

Leia também