Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

09 Outubro de 2019 | 18h31 - Actualizado em 09 Outubro de 2019 | 18h31

ACNUR inicia repatriamento para RDC

Dundo - O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) iniciou, hoje, quarta-feira, o repatriamento voluntário e organizado dos cerca de cinco mil refugiados da República Democrática do Congo (RDC), assentados no campo do Lóvua, Lunda Norte, desde Maio de 2017.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Regresso dos refugiados da RDC

Foto: Assis Kituta

A partida do primeiro grupo, um total de 221, foi testemunhada pelo secretário de Estado para Acção Social, Lúcio do Amaral,  e pelo vice-governador para o sector Social, Politico e Económico da Lunda Norte, Deolinda Vilarinho.

Estão disponíveis para o processo, que deve durar dois meses, 11 camiões, sendo cinco para o transporte de pessoas e seis para cargas, para além de viaturas especiais para mulheres grávidas, idosos, crianças e portadores de deficiência.

Uma ambulância com fármacos e técnicos de saúde, bem como um número considerável de efectivos da Policia Nacional garantem assistência médica e segurança dos refugiados durante o percurso até a fronteira de Nachiry.

De acordo com o representante interino do ACNUR em Angola, Wellington Carneiro, foram criados dois centros de trânsito ao longo da fronteira para os refugiados repousarem e posteriormente serem transportados as suas zonas de origem na RDC.

O ACNUR assegura cerca de 120 dólares norte-americanos e 20 mil francos congoleses para a reintegração socioeconómica de cada refugiado.

No repatriamento voluntário e espontâneo regressaram a RDC 14 mil e 724. Deste número, três mil e 772 são homens, sete mil e 974 crianças e dois mil e 978 mulheres, dos 18 mil e 800 previstos.

O repatriamento voluntário teve início a 19 de Agosto quando um grupo de refugiados decidiu unilateralmente regressar ao país de origem.

O total de cidadãos da RDC na altura acolhidos em Angola, na província da Lunda Norte, em particular, atingiu os 35 mil. Destes, 23 mil e 684 foram acolhidos no campo de refugiados do Lóvua, enquanto os restantes 11 mil e 316 estavam distribuídos pelas comunidades da província.

A migração destes cidadãos derivou da violência generalizada causada por tensões políticas e étnicas na República Democrática do Congo (RDC), em Maio de 2017.

Leia também
  • 08/10/2019 18:18:25

    ACNUR remarca repatriamento para RDC

    Dundo - As fortes chuvas que caíram nesta terça-feira sobre a província da Lunda Norte estiveram na origem do adiamento, para a próxima quarta-feira, do início do repatriamento voluntário e organizado dos refugiados da República Democrática do Congo (RDC) assentados no campo do Lóvua.

  • 04/10/2019 00:12:57

    Tribunal na Lunda Norte condena funcionário da Imogestim

    Dundo - O Tribunal Provincial da Lunda-Norte condenou nesta quinta-feira (03), no Dundo, o cidadão Santos Muvuma, ex-funcionário da Imogestim, a pena de oito anos de prisão maior.

  • 30/09/2019 13:40:09

    Efectivos das Forças Especiais detidos por homicídio

    Dundo - Quatro efectivos afectos às Forças Especiais (comandos) estão detidos por supostamente terem atingido mortalmente, com um tiro à queima-roupa, um cidadão de 34 anos, no município do Cuango, província da Lunda Norte.