Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

22 Outubro de 2019 | 12h41 - Actualizado em 22 Outubro de 2019 | 12h40

União Africana: Presidência de Angola no CPS discutida em Addis-Abeba

Luanda - O Representante Permanente de Angola junto da União Africana, Francisco da Cruz, foi recebido segunda-feira, em Audiência, pelo Comissário para a Paz e Segurança da União Africana, Smail Chergui, tendo, entre outros assuntos, analisado a agenda da presidência rotativa de Angola do CPS, aprazada para Dezembro.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Representante Permanente de Angola junto da União Africana, Francisco da Cruz

Foto: Foto cedida

Trata-se da segunda vez, no presente mandado, que Angola assumirá o comando do CPS (Conselho de Paz e Segurança), depois de tê-lo feito em Setembro de 2018, informa em nota o Serviço de Imprensa da Embaixada de Angola na Etiópia.

Nessa altura a agenda destacou a análise da situação em países como o Burundi e a República Centro-Africana, o estado da Capacidade Africana de Reacção Imediata às Crises (CARIC), a coordenação das acções de paz e segurança entre o CPS e Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC), A Comunidade Económica dos Estados da África Ocidentai (CEDEAO), Autoridade Intergovernamental para o Desenvolvimento (IGAD), Comunidade de Estados da África Central CEAC e a União do Magreb, entre outros temas do continente africano.

Eleita em Janeiro de 2018, para um mandato de dois anos, Angola faz parte do CPS com a Argélia, Burundi, Djibouti, Guiné Equatorial, Gabão, Quénia, Lesotho, Libéria, Marrocos, Nigéria, Rwanda, Serra Leoa, Togo e Zimbabwe

Ainda na audiência voltou a ser discutida a questão da inserção de quadros angolanos nas estruturas da UA, particularmente ligadas à Paz e Segurança, em relação a qual Smail Chergui, já havia manifestado, em Maio do corrente ano, total disponibilidade em trabalhar com Angola.

Passou-se igualmente em revista a actualidade africana, no geral, e, em particular na RCA, onde o angolano Bertino Matondo é o Representante Especial do Presidente da Comissão da UA, Moussa Faki Mahamat.

Recentemente, intervindo numa sessão do CPS, Francisco da Cruz considerou fundamental a paz na RCA para a estabilidade na sub-região,  frisando que Angola  tem prestado o seu apoio ao processo de paz e reconciliação em curso naquele país da África Central.

O Departamento de Paz e Segurança da UA auxilia o Conselho de Paz e Segurança, na prevenção de conflitos, gestão de crises e reconstrução pós-conflito, defesa e segurança e operações de apoio à paz.

Assuntos Angola   Diplomacia   UA  

Leia também
  • 23/10/2019 12:18:40

    Mais de 11 mil passaportes por levantar no SME

    Luanda - Mais de 11 mil e 500 passaportes estão por levantar nos postos de emissão do país, situação que levou o Serviço de Migração e Estrangeiros (SME) a apelar os utentes para o levantamento desses documentos.

  • 23/10/2019 11:25:42

    Aberto Fórum Económico Rússia-África

    Sochi (Dos enviados especiais) - O Fórum Económico Rússia-África abriu na manhã desta quarta-feira, no Parque da Ciência e Artes "Sirius", em Sochi, com dois discursos centrados nos desafios da parceria russo-africana e nas novas perspectivas da cooperação.

  • 22/10/2019 20:57:02

    Angola-Moçambique: Relações económicas devem subir - Embaixador

    Maputo - O antigo embaixador de Angola em Moçambique, Brito Sozinho, defendeu segunda-feira, em Maputo, que as relações económicas, comerciais e empresariais entre os dois países devem atingir o nível de excelência dos laços político-diplomáticos.

  • 22/10/2019 19:36:35

    Rússia: Cimeira de Sochi marca passo histórico

    Sochi (Dos enviados especiais) - O governo russo e as autoridades políticas africanas assinalam, a partir de quarta-feira (23), um marco histórico que pode impulsionar a cooperação russo-africana e fazer aumentar o volume de investimentos.