Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

04 Janeiro de 2020 | 16h49 - Actualizado em 04 Janeiro de 2020 | 16h49

Bié: Professores devem ensinar a real história de Angola-Governador

Cuito- O governador do Bié, Pereira Alfredo, pediu hoje na cidade do Cuito, a necessidade dos professores dotarem as novas gerações de estudantes com ferramentas sobre a real história de Angola, visando perpetuar na franja as conquistas até agora alcançadas.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Pereira Alfredo, Governador Provincial do Bié

Foto: Leonaldo Castro

Pereira Alfredo, fez este apelo, durante o acto provincial do “4 de Janeiro de 1961”, dia consagrado aos Mártires da Repressão Colonial, que hoje (sábado) se assinala, apelando aos docentes a primarem por mais pesquisa sobre as datas memoráveis.

A medida, de acordo com o Governante, visa honrar a memória dos cidadãos que perderam a vida, de 4 de Janeiro de 1961 na baixa de Cassanje e a 04 de Fevereiro do mesmo ano.

Considerou o 4 de Janeiro de 1961, como o primeiro passo de luta que originou a Independência do país, alcançada no dia 11 de Novembro de 1975.

Enquanto isso, o historiador Joaquim Wanga, disse em declarações à Angop, após dissertar uma palestra sobre a “contribuição do 4 de Janeiro de 1961 para o alcance da Dependência Nacional”, no quadro da celebração da data, que o massacre da Baixa de Cassanje inicia logo após os camponeses decidirem arrancar as plantações de algodão, em resposta aos maus tratos e baixos salários impostos pelos portugueses.

Lembrou que a esta situação provocou a fuga de centenas de milhares de angolanos para os países vizinhos, e por este motivo deve servir de reflexão para que futuramente não se possa repetir.

A Baixa de Kassanje é uma imensa zona geográfica com 80 mil quilómetros, situada entre Malanje e as Lundas. Em 1961, a região tinha 150 mil habitantes e os campos de algodão tinham quase 85 mil agricultores e respectivas famílias, todos forçados a cultivar e vender o algodão.

Esta região compreende as aldeias de Cambo Sunginge, Zungue, Kanzage, Wholo dia Coxi, Santa Comba, Mulundo, Teca dia Kinda, Xandel, Moma, Iongo Milando e Massango (Forte República) nos municípios de Cahombo, Marimba, Cunda dia Baze e Quela.

Assuntos Política   Província » Bié  

Leia também