Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

13 Fevereiro de 2020 | 19h11 - Actualizado em 13 Fevereiro de 2020 | 19h11

Imóveis apreendidos custam mais de USD 500 milhões

Luanda - Os imóveis construídos com fundos públicos e apreendidos pelas autoridades angolanas, no Zango Zero e Kilamba, estão avaliados em mais de USD 532 milhões e 302 mil, soube-se hoje de fonte oficial.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Vista da Centralidade do Kilamba (arquivo)

Foto: Francisco Miúdo

O valor corresponde aos mais de mil imóveis inacabados, edifícios, estaleiros e terrenos, na urbanização Vida Pacífica (Zango Zero) e no Kilamba, apreendidos pela Procuradoria-Geral da República (PGR), na última terça-feira.

Os imóveis estavam em posse das empresas CIF-Angola (de direito angolano) e CIF-Hong Kong, com sede na China.

O projecto Vida Pacífica, construído no interior do Zango Zero, está avaliado em USD 236 milhões  (mais de 117 mil milhões de kwanzas), enquanto os imóveis do Kilamba (KK5800) custam mais de USD 295 milhões  (mais de 146 mil milhões de kwanzas).

Segundo uma fonte da PGR, a titularidade desses bens públicos esteve atribuída aos cidadãos angolanos Fernando Gomes dos Santos e Samora Borges Sebastião Albino, accionistas da empresa China International Fund Angola (CIF).

De acordo com a PGR, a apreensão desse património estatal é paralelo a de um processo-crime em fase de instrução preparatória, no qual esses dois cidadãos nacionais podem ser acusados de crimes de corrupção, tráfico de influência e outros económicos.

Quanto à China International Fund Hong Kong, a fonte da PGR informou que decorrem tramites para averiguar a real titularidade, que deve ser responsabilizada criminalmente.  

“São projectos habitacionais construídos com fundos do Estado, mas na prática são geridos por  privados”, afirmou, adiantando que os bens podem ser entregues ao Estado, após julgamento no tribunal.

Relativamente à taxa de ocupação dos imoveis, nas duas centralidades, é inferior a cinco por cento, segundo a fonte da PGR.

Avançou que o órgão está a avaliar outros projectos construídos com fundos públicos.

Lista dos imóveis apreendidos

A lista dos bens apreendidos, a pedido do Serviço Nacional de Recuperação de Activos, inclui 24 edifícios, duas creches, dois clubes náuticos, três estaleiros de obras e respectivos terrenos adjacentes, numa área total de 114 hectares, na urbanização Vida Pacífica (Zango Zero), município de Viana, em Luanda.

Da mesma lista fazem parte 1.108 imóveis inacabados, 31 bases para a construção de edifícios, 194 bases para a construção de vivendas, um estaleiro e respectivos terrenos adjacentes, numa área de 266 hectares, localizada no distrito urbano do Kilamba, município de Belas, em Luanda.

A CIF Limited é uma empresa privada chinesa com sede em Hong Kong e escritório em Pequim, fundada em 2003, para financiar projectos de reconstrução nacional e desenvolvimento de infra-estruturas nos países em desenvolvimento, principalmente em África.

Em Angola, a mesma participou na construção de vários empreendimentos sociais, sendo detentora de outros projectos.

Assuntos Angola   Justiça   PGR  

Leia também
  • 14/02/2020 13:32:50

    Magistrada pede trabalho em equipa no Bengo

    Caxito - A sub-procuradora geral da República titular da província do Bengo, Carla Patrícia Correia, destacou a necessidade de se trabalhar em equipa para que o Ministério Público possa obter resultados positivos e satisfazer os anseios da população na região.

  • 13/02/2020 19:29:25

    SIC detém director provincial da cultura no Zaire

    Mbanza Kongo - O responsável da cultura na província do Zaire, Biluka Nsakala Nsenga, foi detido, nesta quinta-feira, pelo Serviço de Investigação Criminal (SIC) na região, por alegado crime de peculato.

  • 13/02/2020 17:32:37

    Angola pode ter passaporte biométrico este ano

    Luanda - Angola deverá emitir, até finais do terceiro trimestre deste ano, o passaporte biométrico, exigido internacionalmente, sob pena de comprometer a deslocação de cidadãos nacionais para o exterior, declarou nesta quinta-feira o director dos Serviços de Migração e Estrangeiros (SME), João António da Costa Dias.