Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

14 Fevereiro de 2020 | 22h48 - Actualizado em 14 Fevereiro de 2020 | 22h45

Jurista defende maior aposta na formação dos instrutores laborais

Huambo - O jurista Laurindo Quintas defendeu esta sexta-feira, no Huambo, uma maior aposta na formação dos instrutores laborais, para evitar os conflitos resultantes da relação entre as entidades empregadoras e trabalhadores.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Segundo o também professor universitário, na apresentação do seu livro “Instrução de processos disciplinares no sector público administrativo angolano”, ao efectivo do Ministério do Interior desta província, a boa qualidade da instrução dos processos disciplinar contribui, de forma significativa, na resolução dos conflitos laborais.

O académico entende e considera importante a necessidade do investimento na formação desses especialistas, para que s tenham maior competência, na resolução dos conflitos laborais e promover, deste modo, um ambiente harmonioso capaz de garantir o bom funcionamento das instituições públicas e privadas.

Laurindo Quintas disse que o fraco domínio do exercício dessa actividade acarreta consigo grandes consequências as matérias aplicar na instrução dos processos disciplinares, sobretudo, do sector público onde, de forma errada, muitos se têm socorrido das disposições legais da Lei Geral do Trabalho, para dar solução aos conflitos que envolvem os funcionários.

Por este facto, acrescentou, têm-se agravado cada vez mais os conflitos, com a violação, neste âmbito, do aludido instrumento jurídico, destinado apenas para o sector empresarial público e privado, sem encontrar a solução adequada para pôr fim aos problemas, quanto estiverem em causa os interesses dos trabalhadores.

O livro do jurista e professor universitário, Laurindo Quintas, que ostenta a patente de superintendente de migração, desempenhar as funções de chefe de Departamento do Contencioso e Laboral e Auditoria do Ministério do Interior, possui 20 capítulos, distribuídos em 268 páginas.

Publicado oficialmente em Luanda, em Dezembro 2019, na obra o autor aborda aspectos sobre “A disciplina laboral”, “A questão da hierarquia administrativa”, “A prescrição do poder punitivo”, “O procedimento disciplinar”, As minutas para a instrução de um processo disciplinar”, entre outros.

No acto testemunhado pelo delegado do Ministério do Interior e Comandante da Polícia nacional no Huambo no planalto central, comissário Francisco Monteiro Ribas da Silva, foi igualmente apresentado o livro do subchefe da Polícia de Intervenção Rápida, João Betico, com título “Chefe ou líder, motivar para uma organização de sucesso”.

Assuntos Província » Huambo  

Leia também
  • 06/02/2020 15:42:50

    MPLA afina "máquina" com foco nas eleições autárquicas

    Caála - O coordenador do Grupo de Acompanhamento do Bureau Político do Comité Central do MPLA à província do Huambo, Mário Pinto de Andrade, afirmou hoje, quinta-feira, no município da Caála, que o partido tem afinada toda a "máquina" para vencer as primeiras eleições autárquicas no país.

  • 06/02/2020 14:34:21

    Operação Transparência orienta reposição do curso normal do rio Samboto

    Huambo - O Posto de Comando Avançado da Operação Transparência orientou hoje, quinta-feira, no Huambo, a empresa Solanda, responsável pela exploração de ouro, no município da Chicala-Cholohanga, a repor, o mais rápido possível, o curso normal do rio Samboto, por ela desviado.

  • 01/02/2020 20:31:06

    MPLA quer reforço da unidade e coesão no seio do partido

    Chicana-Cholohanga - A primeira secretária do MPLA no Huambo, Joana Lina, defendeu hoje, sábado, na aldeia de Chinguli, comuna do Mbave, a necessidade do reforço da unidade e coesão no seio do partido, para permitir a materialização do programa de governação que visa o bem-estar dos angolanos.