Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

24 Fevereiro de 2020 | 20h28 - Actualizado em 24 Fevereiro de 2020 | 20h27

Exército admite 300 novos cadetes na Academia Militar no Lobito

Lobito - Trezentos novos cadetes, admitidos no quarto curso de Ciências Militares da Academia Militar do Exército (AMEX), no Lobito, província de Benguela, juraram bandeira hoje, visando o ano académico 2020, numa cerimónia presidida pelo comandante da instituição castrense, tenente-general António de Sousa Queirós.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Benguela: Cadetes da Academia Militar do Exército no Lobito (arquivo)

Foto: CARLOS BENEDITO

A partir de hoje, os novos cadetes, dos 1.700 candidatos inscritos, terão ainda 45 dias de recruta, que antecede o início da frequência do ano lectivo naquele estabelecimento de ensino superior militar, localizado no município do Lobito.

Segundo o director para o ensino da instituição, coronel Jacob Chandler Viango, o processo de avaliação passa por várias fases e alguns candidatos apresentam um nível de preparação muito fraco, principalmente no que toca à matemática, já que a maior parte das provas é feita na base de cálculos.

Jacob Viango afirmou que a Academia Militar do Exército é rigorosa nos critérios de selecção, desde a avaliação documental, física à inspecção médica.

Além de docentes angolanos, contam também com assessores cubanos nas especialidades de infantaria, defesa antiaérea, artilharia terrestre, inteligência militar operativa, protecção biológica, logística, entre outros.

O coronel fez questão de sublinhar algumas dificuldades do estabelecimento de ensino superior, tanto de infra-estruturas como de material didáctico, mas enalteceu a colaboração de instituições como a Universidade Katyavala Bwila e os institutos superiores politécnicos Católico, Lusíadas e Jean Peaget.

Até ao momento, 348 cadetes cadetes já terminaram a licenciatura na academia, cujo primeiro curso decorreu de 2013 até 2017, com 99 finalistas. O segundo decorreu de 2014 a 2018, com 170 candidatos, enquanto o terceiro realizou-se de 2015 a 2019, com 96 inscritos.

Após terminar o quinto ano, o finalista tem emprego imediato, tornando-se técnico superior do quadro permanente das Forças Armadas Angolanas (FAA).

Fundada a 9 de Setembro de 2009, sob o Decreto Presidencial nº 41/09, a Academia Militar do Exército está subordinada ao Comando do Exército e tem como missão a formação de quadros altamente qualificados para as diferentes áreas deste ramo das Forças Armadas Angolanas, face às exigências da segurança e da Defesa Nacional.  

Leia também
  • 19/02/2020 20:24:48

    Mais de cinco mil supostos pensionistas eliminados da Caixa Social das FAA

    Lobito - Pelo menos cinco mil e quinhentos supostos pensionistas da Caixa Social das Forças Armadas, em Benguela, foram eliminados do sistema, por terem estado ausentes durante o cadastramento e a prova de vida, disse hoje, quarta-feira, o ministro da Defesa, Salviano de Jesus Sequeira.

  • 13/02/2020 16:36:36

    PGR solta agentes do SIC sob termo de identidade e residência

    Benguela - Seis agentes do Serviço de Investigação Criminal (SIC) em Benguela, detidos preventivamente dia 05 do corrente mês, acusados de alegado envolvimento na morte de um cidadão que se encontrava detido, foram soltos nesta segunda-feira (10), pela Procuradoria-Geral da República, sob termo de identidade e residência.

  • 09/02/2020 22:08:37

    Exército angolano reafirma segurança nas fronteiras

    Uíge - O ramo do Exército das Forças Armadas Angolanas (FAA) está em prontidão para garantir a segurança das fronteiras e apoiar o Governo nos projectos para o desenvolvimento do país, reafirmou hoje, domingo, o seu comandante-adjunto para a Educação Patriótica, José Marques.