Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

29 Abril de 2020 | 12h44 - Actualizado em 29 Abril de 2020 | 12h43

Covid-19: Administradores solicitam maior protecção das fronteiras

Cabinda - Os administradores municipais de Cacongo e Cabinda pedem aos órgãos de defesa e segurança maior intervenção na protecção das fronteiras com os países vizinhos para mitigar as constantes violações de cidadãos estrangeiros ilegais que a todo custo insistem em entrar nestas regiões do país.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Dístico do COVID-19, novo Coronavírus

Foto: Divulgação

A situação ao longo das fronteiras com as repúblicas vizinhas do Congo Brazaville (RC) e da República Democrática do Congo (RDC) é preocupante por se assistir a contínua violação da parte de cidadãos estrangeiros ilegais e também de nacionais que usam caminhos fiotes (trilhos), fazendo o vai e vem para ambos lados, mesmo com as medidas decretadas pelo Decreto Presidencial sobre o Estado de Emergência com o encerramento de todas as fronteiras.

Em declarações à imprensa, na terça-feira, a administradora municipal de Cacongo, Marta Issungo, disse que "estamos perante uma situação da violação constante das fronteiras terrestres e fluviais e o momento exige de todos nós esforços conjuntos no controlo mais abrangente nas linhas e marcos que dividem o país com os dois Congos  para se evitar a importação de mais casos do novo coronavírus”.

Marta Issungo sublinhou que é necessário juntar esforços entre as autoridades de defesa e segurança, as tradicionais, os coordenadores de bairros e população no geral no combate e denúncias de todos os casos de violação da cerca sanitária e do incumprimento das medidas decretadas pelo Estado de Emergência para se evitar eventuais contágios.

Referiu que a existência de casos da Covid-19 na vizinha cidade congolesa de Ponta-Negra (República do Congo) constitui perigo se as fronteiras não forem bem protegidas para se evitar a insistência da movimentação de pessoas de ambos lados que continuam a furar a cerca sanitária.

No município de Cacongo, de acordo com a administradora municipal, Marta Issungo, tem 14 elementos em quarentena.

Por seu turno, o administrador adjunto de Cabinda, Manuel Guilherme, disse que os caminhos fiotes (trilhos) na linha divisória que separa as fronteiras de Cabinda com a região do Baixo Congo-RDC continuam a ser uma das grandes preocupações devido as constantes entradas ilegais para a cidade.

Defende também que os órfãos de defesa e segurança devem reforçar e redobrar com maior incidência as suas acções de protecção e vigilância nestas vias (trilhos) para que cesse todo esse o modo de agir de estrangeiros ilegais.

"O país está a envidar todos os esforços para se evitar mais casos importados de covid-19. Por isso, devemos estar unidos e determinados no combate a esse fenómeno de violação de fronteiras e do rompimento da parte de cidadãos nacionais da cerca sanitária”, alertou.

O município de Cacongo conta com as fronteiras terrestre de Massabi e as fluviais Tinchichi e Beira Nova com RC e RDC, enquanto o município sede de Cabinda faz fronteiras com a RDC, através dos postos de Yema, Yabi, Tendequela, Lindo, Chimbuandi, Zenza do Lucula e MBaka Kossi, todas terrestres com a RDC.

Leia também
  • 28/04/2020 11:13:01

    Covid-19: Tribunal condena jovens desobedientes

    Lubango - Três dos 11 cidadãos detidos na sexta-feira última, em ambiente num bar de quintal no bairro Santo António, no Lubango, foram condenados pelo Tribunal da Huíla, na segunda-feira, a um mês de cadeia, com pena suspensa convertida em multa.

  • 23/04/2020 16:43:33

    Comissão do Conselho de Ministros analisa política de acção social

    Luanda - A Comissão para a Política Social do Conselho de Ministros analisou nesta quinta-feira a proposta de Política Nacional de Acção Social, que visa garantir aos indivíduos e agregados familiares carentes vida digna, acesso aos serviços básicos e à protecção social.

  • 22/04/2020 13:48:14

    UNITA reafirma aposta na reforma do Estado

    Luanda - A UNITA reafirmou na última terça-feira, em Luanda, que vai continuar a bater-se pela efectiva reforma do Estado.