Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

16 Setembro de 2020 | 18h49 - Actualizado em 16 Setembro de 2020 | 19h09

Jovens chamados a seguir legado de Neto

Menongue - O director do gabinete da Cultura, Turismo, Juventude e Desporto no Cuando Cubango, Afonso Rafael Dala, apelou, nesta quarta-feira, na localidade de Cassela, os jovens a apostarem na formação para servirem a nação, imortalizando os princípios defendidos por Agostinho Neto.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

O responsável aconsehlou a juventude a seguir o modelo de Agostinho Neto, primando pela formação, respeito e humanismo, bem como a sacrificar-se de forma total e incomensurável para a causa dos mais nobres interesses da pátria, prestando serviços sociais úteis para o país.

Acrescentou que os ideais de unidade nacional não podem ficar num recinto fechado, mas sim conhecidos e amplamente divulgados.

Afonso Rafael Dala falava durante uma palestra sobre “Vida e obra de Agostinho Neto”, primeiro Presidente do país, dirigida a jovens filiados no Conselho Provincial da Juventude, no âmbito da jornada comemorativa do 98º aniversário do nascimento de Agostinho Neto, a assinalar-se nesta quinta-feira, 17 de Setembro.

António Agostinho Neto foi, na década de 1950, secretário-geral da delegação em Coimbra da Casa dos Estudantes do Império e membro fundador do Centro de Estudos Africanos, em conjunto com Amílcar Cabral (Guiné-Bissau), Mário Pinto de Andrade (Angola), Marcelino dos Santos (Moçambique) e Francisco José Tenreiro (Angola), bem como, mais tarde, fundador do Clube Marítimo Africano.

Devido a sua participação activa nos movimentos estudantis nacionalistas, foi preso diversas vezes pela polícia política portuguesa (PIDE), dando origem a campanhas internacionais de solidariedade para a sua libertação.

Em 1962 ascendeu à presidência do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), cargos também ocupados por Ilídio Machado e Mário Pinto de Andrade, que passaram a ser reconhecidos pelo partido, em 2018, durante o seu VI Congresso Extraordinário.

Ao longo da década de 1970, Neto liderou as actividades políticas e de guerrilha do MPLA e o processo de descolonização (1974/75) a partir de Argel (Argélia) e Brazzaville (República do Congo), até ao seu regresso a Angola para proclamar a independência nacional, tornando-se então no primeiro Presidente de Angola.

Foi também um esclarecido homem de cultura, para quem as manifestações culturais tinham de ser antes de mais a expressão viva das aspirações dos oprimidos, a arma para a denúncia dos opressores e um instrumento para a reconstrução da nova vida.

A atribuição do Prémio Lótus, em 1970, pela Conferência dos Escritores Afro-asiáticos, Prémio Nacional de Cultura em 1975 e outras distinções são reconhecimentos internacionais dos seus méritos no domínio das artes.

Entre os trabalhos de destaque constam “Náusea” (1952), “Quatro Poemas de Agostinho Neto” (1957), “Com os olhos Secos”, edição bilingue português-italiano (1963), “Sagrada Esperança” (1974), “Renúncia Impossível” (edição póstuma 1982) e “Poesia” (edição Póstuma 1998).

António Agostinho Neto faleceu a 10 de Setembro de 1979, em Moscovo, por doença.

O Médico e estadista proclamou a independência de Angola em 11 de Novembro de 1975, depois de longos anos de colonização portuguesa.

Leia também
  • 13/09/2020 19:05:20

    Novas gerações devem conhecer legado de Neto

    Menongue - A segunda-secretária do MPLA no Cuando Cubango, Carla Cativa, defendeu hoje a necessidade de transmissão contínua do legado do primeiro Presidente da República de Angola, António Agostinho Neto, às novas e as futuras gerações.

  • 10/09/2020 13:46:54

    Governante valoriza obra de Agostinho Neto

    Menongue - A dimensão política e diplomática de Agostinho Neto ultrapassa as fronteiras geográficas de Angola e tem reflexo positivo a nível do continente africano, sobretudo na região austral, disse hoje, em Menongue, a vice-governadora do Cuando Cubango, Carla Cativa.

  • 07/09/2020 14:08:20

    MPLA no Cuando Cubango volta a reunir-se depois do "susto"

    Menongue - O MPLA no Cuando Cubango voltou a reunir-se hoje (segunda-feira) para conclusão da VIII Reunião Ordinária, interrompida sábado último, devido a um incêndio que deflagrou no complexo turístico Cambumbe Lodge, sábado último, onde decorria a reunião.