Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

22 Setembro de 2020 | 14h47 - Actualizado em 22 Setembro de 2020 | 14h47

Angola formaliza adesão à Agência Internacional de Energia Atómica

Viena - Angola formalizou, esta segunda-feira (21), em Viena, Áustria, a sua adesão à Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA), com a entrega dos respectivos três instrumentos àquela entidade.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Embaixadora de Angola na Áustria, Teodolinda Rodrigues Coelho, procede à entrega de três instrumentos jurídicos de adesão ao Senhor Mariano Grossi, Director-Geral da AIEA

Foto: Cedida

A embaixadora de Angola na Áustria, Teodolinda Rosa Rodrigues Coelho, procedeu à entrega dos três instrumentos ao director-geral da agência, Mariano Grossi, à margem da 64ª Sessão Ordinária da Conferência Geral da AIEA, o principal órgão daquela organização internacional.  

No quadro dos esforços do Governo angolano, focado no combate à pandemia do Covid19, a AIEA aproveitou o momento para oferecer a Angola meios e equipamentos para a detecção rápida do Covid-19.

A Assembleia Nacional de Angola havia aprovado, em Dezembro de 2019, os três instrumentos, cuja deposição torna o país africano Estado Parte da Convenção sobre Segurança Nuclear, da Convenção sobre Proteção Física de Material Nuclear (CPPNM) e a sua respectiva Emenda.

Com este passo, Angola expressa a sua vontade de vinculação aos tratados que reforçam a protecção e segurança nuclear em todo o mundo.

No acto, a embaixadora Teodolinda Rosa Rodrigues Coelho sublinhou que, com o depósito desses três instrumentos jurídicos, Angola “reforça” o seu compromisso de utilizar a ciência e tecnologia nuclear para fins pacíficos.

Adoptada em 1994, a Convenção sobre Segurança Nuclear integra 89 Estados Partes e impõe aos membros que operam centrais nucleares civis terrestres a manter um “alto” nível de segurança.

A Convenção sobre a Protecção Física de Material Nuclear (CPPNM), adoptada em 1979, possui 162 Estados Partes, dos quais 125 países, Angola incluída, fazem parte também da sua Emenda.

A Convenção CPPNM tem como foco a protecção física de materiais nucleares usados ​​para fins pacíficos durante o transporte internacional.

Em 2005, os Estados Partes da Convenção CPPNM adoptaram a Emenda a fim de ampliar seu escopo para incluir igualmente requisitos de protecção física para as instalações e materiais nucleares para uso doméstico, armazenamento e transporte.

A referida emenda entrou em vigor no dia 8 de Maio de 2016 e prevê também a ampliação da cooperação, a partilha de informações entre os Estados Partes para a localização e recuperação de material extraviado e/ou eventualmente roubado em accões de sabotagem.

Angola é Estado Membro da AIEA desde Novembro de 1999 e tem assinado com esta um acordo de parceria para o período de 2019-2023, avaliado em 2,9 milhões de euros.

O documento versa sobre a implementação de projectos em Angola, nas áreas da saúde e nutrição, alimentação e agricultura, água e meio ambiente, energia e indústria, protecção e segurança contra a radiação, produção animal e fabrico de vacinas para animais.

Assuntos Angola   Cooperação   Diplomacia  

Leia também
  • 19/09/2020 19:26:31

    Angola defende direito ao desenvolvimento humano

    Luanda - A representante de Angola junto do Escritório das Nações Unidas e outras Organizações Internacionais, Margarida Izata, assegurou hoje, em Genebra, Confederação Suíça, que Angola se alinha ao pensamento do Relator Especial e a Declaração feita pelo Grupo Africano que destacam a importância do ?Dever de Memória?.

  • 19/09/2020 17:38:31

    Credibilidade de Angola em matéria de paz remonta a Agostinho Neto

    Adis-Abeba - O representante permanente de Angola junto da União Africana, Francisco da Cruz, afirmou que a credibilidade do país, matéria de Paz e Segurança e Resolução de Conflitos, é também fruto dos primeiros passos dados por António Agostinho Neto, depois de ter proclamado a Independência Nacional, a 11 de Novembro de 1975.

  • 19/09/2020 12:54:03

    Covid-19 no centro da 75ª Assembleia Geral da ONU

    Luanda - A pandemia da Covid-19, que já matou mais de 900 mil pessoas e infectou 30,2 em todo o mundo, é um dos tópicos principais da agenda da 75ª Sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas, que decorre em Nova Iorque, Estados Unidos da América, por vídeoconferência.