Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

30 Setembro de 2020 | 15h40 - Actualizado em 30 Setembro de 2020 | 15h40

Réus do caso "Restos a Pagar" conhecem sentença em Outubro

Huambo - O Tribunal da Província do Huambo marcou para o dia 09 de Outubro a leitura do acórdão do processo-crime de peculato, denominado "Restos a Pagar", em que são arguidos cinco ex-gestores públicos, entre os anos 2010 a 2014.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Nos autos do processo de querela 340/19 e apensos 341/19 e 342/19, estão arrolados os co-réus João Sérgio Raul, ex-secretário do Governo local, entre 2010 e 2014, Victor Chissingue, director do Gabinete de Estudos e Planeamento, entre 2011 e 2014, assim como Cândido Abel Camuti, ex-director do gabinete do governador, no mesmo período.

São igualmente réus Constantino César, ex-chefe do Departamento de Administração, Património, Informática, Gestão do Orçamento e Transportes, e Claudino Sicato Fernandes Isaías,  ex-chefe de Secção de Execução Orçamental e Contabilidade, entre 2010 a 2018, todos eles acusados e pronunciados da prática do crime continuado de peculato.

Antes da marcação da data da leitura da sentença, os juízes da 2ª sessão das questões criminais do Tribunal da Província do Huambo, encabeçada pelo juiz de direito presidente da causa, Ângelo Catumbela Vilinga, responderam os 241 quesitos sobre os factos alegados pelo Ministério Público, pelos advogados e da fase da produção da prova material.

Entretanto, segundo o juiz presidente da causa, durante o julgamento em que os co-réus respondem em liberdade, ficou provado, entre outros, que os réus agiram, de forma concertada e se apropriaram indevidamente dos cofres do Estado da quantia monetária de 488 milhões, 40 mil, 685 Kwanzas e 79 centímetros.

Com um total de 20 declarantes, entre funcionários do Governo provincial, do Gabinete de Estudos e Planeamento e empresários, incluindo o ex-governador da província do Huambo, Fernando Faustino Muteka, tratou-se da penúltima sessão do julgamento, iniciado a 02 de Março e suspenso por mais de seis meses, no quadro das medidas de prevenção e combate à pandemia covid-19.

Com uma área de 35 mil e 771 quilómetros quadrados, vivem no Huambo, Planalto Central de Angola, dois milhões e 309 mil e 829 habitantes que, na sua maioria, dedicam-se a agricultura.

Assuntos Província » Huambo  

Leia também
  • 17/09/2020 09:19:13

    Governadora defende mais investigação sobre trajectória de Neto

    Huambo - A governadora da província do Huambo, Lotti Nolika, defendeu hoje, quinta-feira, a necessidade da promoção de acções de investigação da vida e obra do Fundador da Nação, António Agostinho Neto, cuja trajectória confunde-se com os 45 anos de Independência Nacional.

  • 15/09/2020 17:54:05

    MP pede prisão maior acima dos quatro anos para ex-gestores públicos

    Huambo - O Ministério Público (MP) na província do Huambo pediu hoje, terça-feira, em Tribunal, a condenação a uma pena não inferior a quatro anos de prisão maior para os cinco ex-gestores públicos, acusados e pronunciados da prática e co-autoria material do crime continuado de peculato.

  • 06/08/2020 17:28:27

    AGT lança campanhas sobre importância do imposto predial

    Caála - A Administração Geral Tributária (AGT) no município da Caála, província do Huambo, lançou, nos últimos dias, uma campanha de sensibilização sobre a importância do imposto predial e do registo de imóveis, com o objectivo de aumentar os níveis de arrecadação de receitas fiscais.